Câmara aprova publicidade em mobiliário urbano

A Câmara Municipal aprovou nesta segunda-feira, em segunda votação, o projeto de lei que prevê a exploração do mobiliário urbano de São Paulo, um dia depois de o projeto ter sido duramente criticado por vereadores.Pela proposta, empresas privadas poderão explorar publicidade em pontos de ônibus, relógios, lixeiras, painéis eletrônicos etc. Em troca, a empresa mantém o equipamento.Uma das surpresas foi o voto da vereadora Myryam Athiê (PMDB), que havia acusado possíveis irregularidades no projeto. Segundo ela e o vereador Dalton Silvano (PSDB), aSecretaria Municipal de Planejamento (Sempla) já tem pronto um edital que favoreceriagrupos estrangeiros nos contratos. Outros vereadores, como Rubens Calvo (PSB),afirmaram que o projeto deveria ser mais discutido antes de ser votado.Nesta segunda, a vereadora procurou justificar o voto. Segundo ela, a versão final contemplou algumas modificações que aumentam as chances de empresas nacionais. Entre elas, a restrição das concessões para 20 anos, no máximo. A versão original previa 20 anos com possibilidade de estes serem prolongados por mais cinco.Além disso, segundo a vereadora, será adotado um critério de pontuação que vai valorizar as empresas nacionais na concorrência.

Agencia Estado,

30 de dezembro de 2002 | 19h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.