Câmara autoriza prefeitura a vender 9 áreas municipais

A prefeitura de São Paulo já pode vender quase todos os imóveismunicipais que deseja. Nesta qurta-feira, 32 vereadores votaram, em segundo turno, a favor do projeto de lei que autoriza a venda de 11 propriedades da Prefeitura. Três emendas, porém, tiraram duas áreas da lista e garantiram que parte do terreno onde hoje funciona a Subprefeitura de Pinheiros seja reservada como espaço público.A idéia da Prefeitura era vender 11 áreas e arrecadar cerca de R$ 82milhões. Com as alterações feitas no plenário da CâmaraMunicipal, uma área no distrito do Cambuci, usada pelo Pólo Cultural da Terceira Idade, e outra em Santo Amaro, onde há um projeto do governo estadual aprovado pelo Ministério da Educação (MEC) para construção de uma escola técnica, foram retiradas da lista.Os vereadores da oposição também queriam tirar o imóvel de Pinheiros - um conjunto de dois lotes vizinhos dos quais um é justamente o mais valioso da lista, avaliado em R$ 49 milhões -, mas a base governista concedeu apenas a cessão de parte do local. Ficará a cargo da Prefeitura determinar o porcentual da área que será destinada aos projetos culturais.Para compensar os recursos desses imóveis que não mais serão vendidos, a Prefeitura pretende aprovar outros projetos de lei que autorizam a venda de outras áreas. Um já está em tramitaçãona Câmara, prevendo a venda da usina de asfalto do Município, na Barra Funda, zona oeste.

Agencia Estado,

30 de junho de 2004 | 22h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.