Câmara de Campinas desiste de investigar prefeita

A ameaça de uma nova Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar atos da prefeita de Campinas Izalene Tiene (PT) foi afastada pela Câmara Municipal ontem à noite. Os vereadores rejeitaram a abertura de uma CEI para investigar irregularidades na tarifa do transporte coletivo de Campinas. A criação da Comissão foi proposta pelo vereador Roberto Frati (PDT).O vereador reclamou da falta de clareza nas tarifas cobradas pelos ônibus (R$ 1,30) e peruas de transporte seletivo (R$ 1,50) e queria explicação sobre os critérios de definição dos valores. A Câmara optou por rejeitar o pedido. Quando os valores foram definidos pela Secretaria Municipal de Transportes, no ano passado, as planilhas dos custos foram encaminhadas para avaliação dos parlamentares, que na época não se manifestaram.Apesar da vitória da administração nesse caso, a prefeita continua sendo investigada em outra CEI, aprovada na semana passada e constituída ontem à noite. Izalene é acusada de desrespeitar a lei municipal, ao conceder licença para instalação de antenas de telefonia celular em caixas d?água da rede pública de abastecimento e alvará para a abertura de um bingo a menos de 500 metros de outro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.