Câmara de São Gonçalo vota amanhã CPI

A Câmara Municipal de São Gonçalo, município do Grande Rio, vota nesta terça-feira o pedido de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que pode resultar na cassação do mandato do vereador Ricardo Crespo de Araújo (PMDB), o Ricardo Castor. Ele é um dos acusados de propor negócios ilícitos à prefeitura de São Gonçalo em matéria exibida domingo pelo programa Fantástico, da Rede Globo de Televisão. Um dos casos envolveria propina no valor de R$ 10 milhões. A reportagem foi produzida com câmeras ocultas no gabinete do secretário de Governo, Planejamento e Controle Interno, George Calvert, que autorizou a gravação das imagens. O prefeito Henry Charles (PMDB), irmão do secretário, disse que não foi informado sobre a produção da reportagem.A Polícia Civil e o Ministério Público investigam o caso. Três outras pessoas aparecem nas imagens: Geraldo Cunha, presidente da Associação dos Guardadores Autônomos de São Gonçalo e ex-presidente da Câmara Municipal, Miguel Macedo, suposto representante da empresa Marval Comércio e Serviços, e Giovani Genta, representante da Adter Administradora de Terminais Rodoviários. Além de Calvert, o produtor do Fantástico Eduardo Faustini, que durante um mês fingiu ser secretário interino de Governo, os recebeu. Todos os três aparecem oferecendo propinas ao secretário em troca de favorecimento em negócios com a prefeitura.Quando esteve no gabinete, Castor foi acompanhado por um advogado, Miguel Nogueira, ex-procurador municipal de São Gonçalo, seu porta-voz na tentativa de acerto ilícito. Nogueira comunicou ao secretário que o vereador queria receber R$ 30 mil mensais, além de outros R$ 50 mil. ?Ele me disse que tinha comprado um imóvel e que precisaria de R$ 120 mil para pagar as prestações?, disse Calvert, sobre uma visita anterior do parlamentar. Em troca, ele deixaria de fazer oposição à gestão deHenry Charles. Nesta segunda-feira, Castor esteve na Câmara Municipal, reunido a portas fechadas com outros vereadores. Depois, disse que dariaentrevista na quinta-feira para se defender das acusações. Calvert, que agora anda em um carro blindado, disse ontem que a reportagem foi a forma que encontrou para denunciar as constantes propostas de corrupção de que seria alvo. ?Tivemos uma grande oportunidade de demonstrar publicamente o que todo mundo sabe. Isso (propostas de corrupçao) é muito comum. Não é uma forma ortodoxa de resolver essas coisas, mas faria tudo de novo. O cinismo é muito grande.? Ele chegou a sugerir que Castor sofre de desequilíbrio mental.O prefeito, Henry Charles, disse que a ação dos corruptos paralisava as ações da prefeitura. ?Fiquei chocado, como qualquer cidadão. Mas não surpreso. Meu irmão relatava o assédio que sofria?. Por conta das dificuldades, afirma Charles, a prefeitura de São Gonçalo não conseguiu em um ano e quatro meses de governo comprar uniformes para as mais de 60 mil crianças atendidas pela rede municipal de Educação e já teve quecancelar uma concorrência para compra de merenda escolar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.