Câmara de SP tem segunda sessão da CPI dos caça-níqueis

A Câmara Municipal de São Paulo realiza na manhã desta terça-feira, 24, a segunda sessão da CPI dos caça-níqueis, segundo informações da Rádio CBN. A comissão, presidida pelo vereador Jean Faria (PSDB), quer apurar irregularidades de funcionamento e sonegação de Imposto Sobre Serviços (ISS) dos estabelecimentos que tenham máquinas caça-níqueis na cidade de São Paulo. Nesta terça, foram convidados o secretário de Finanças, Luís Fernandes Gusmão Wellisch, que foi o primeiro a falar como convidado. O segundo a falar será o secretário de Negócios Jurídicos, Ricardo Dias Leme, e por fim o secretário de Coordenação das Subprefeituras, Andrea Matarazzo. O secretário de Finanças já fez um resumo das informações sobre o número de inscritos e da arrecadação dos bingos na cidade. Segundo a CBN, há um cadastro com 394 inscrições de empresas na categoria Bingo e uma lista com os 25 maiores bingos, que têm mais de 100 máquinas. As 394 empresas gerariam R$ 817 milhões se pagassem impostos, segundo o secretário. Não são todos os que pagam o ISS, que é a base de cálculo do faturamento das máquinas e que são responsáveis por cerca de 90% do faturamento das casas de bingo. Há um valor por máquinas de R$ 124,16, por via de pagamento o que pressupõe, segundo o secretário, R$ 2.500 de faturamento por máquina, por mês. A dificuldade de transformar a arrecadação em recurso, é que o dono de bingo é o tipo de empresário que desrespeita a lei, como por exemplo rompendo os lacres quando a casa é interditada. A primeira sessão de trabalho da CPI aconteceu no dia 17 de abril, na semana passada.

Agencia Estado,

24 Abril 2007 | 10h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.