Câmara de SP terá sessão extraordinária para votar IPTU

Mesmo após 14 horas de sessão, iniciadas às 10h da manhã de sexta-feira, a administração municipal não conseguiu aprovar projetos polêmicos, como a adoção da cobrança progressiva do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), a revisão da Lei Orgânica do Município (LOM) e o projeto de lei que especifica os gastos que podem ser incluídos no orçamento da educação em 2002. Uma nova sessão extraordinária foi marcada para segunda-feira, às 14 horas.Segundo o líder do governo, vereador José Mentor (PT), as longas discussões em torno de outros projetos impediram a votação dos projetos de interesse do Executivo. "As negociações para desobstrução da pauta levaram mais tempo que o previsto", disse Mentor. O governo acredita que já tem os 28 votos para aprovação do projeto do IPTU. O mesmo não acontece, porém, em relação ao da Lei Orgânica, que exige 37 votos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.