Marcos Arcoverde/AE
Marcos Arcoverde/AE

Câmara de Vereadores do Rio ainda faz levantamento dos prejuízos com invasão

Manifestantes entraram no prédio na noite de quarta-feira, depois de uma passeata com duas mil pessoas no centro da cidade

Marcelo Gomes, O Estado de S. Paulo

01 de agosto de 2013 | 10h13

RIO - A Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro está fazendo um levantamento dos prejuízos causados com a invasão do prédio, na noite de quarta-feira, 31, por manifestantes. Na manhã desta quinta, funcionários encontraram muito lixo pelos corredores e salões do Palácio Pedro Ernesto, localizado na Cinelândia, no centro da cidade.

A manifestação, que culminou com a invasão da Câmara Municipal, acabou com três feridos, sendo um policial, e um preso. O protesto começou às 16h na Cinelândia, em frente à Câmara, e reuniu 2 mil pessoas, que seguiram em passeata pelo centro. Elas protestavam contra o decreto estadual 44.305/2013, que criou a Comissão Especial de Investigação de Atos de Vandalismo em Manifestações Públicas Ceiv, e exigiam o impeachment do governador Sérgio Cabral (PMDB). Após passar pelo Ministério Público Estadual (MPE), onde um grupo foi recebido pelo procurador-geral de Justiça, e pela Assembleia Legislativa (Alerj), eles voltaram à Cinelândia e invadiram a Câmara.

Tudo o que sabemos sobre:
protestoscâmararioinvasão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.