Câmara discute contas de Erundina, Maluf e Pitta

A Câmara Municipal de São Paulo começará a discutir e poderá votar nesta terça-feira as contas dos ex-prefeitos Luisa Erundina (PSB), referente apenas ao exercício de 1992; Paulo Maluf (PPB), de 1993 a 1996; e de seu ex-afilhado político Celso Pitta (PTN), de 1997 a 2000. A Mesa Diretora também colocará dois projetos de lei para tramitar em plenário. O primeiro trata do fim da votação secreta, e o segundo, da mudança do Regimento Interno da Casa. As decisões foram tomadas nesta segunda-feira em uma reunião do colégio de líderes.Segundo o presidente da Câmara, vereador José Eduardo Martins Cardozo (PT), as contas das últimas três gestões já podem ser votadas nesta terça-feira. "Aprovamos uma inversão de pauta para discutir as contas das gestões Erundina, Maluf e Pitta. Se houver consenso entre os vereadores, elas poderão ser votadas nesta terça-feira", afirmou Cardozo.Entretanto, na reunião de líderes, não foi definido quais Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) poderão ser abertas. Parlamentares da Casa apontam que as comissões que deverão ser emplacadas nesta terça-feira são: CPIs da Educação e do Plano de Atendimento à Saúde (PAS), que serão apresentadas por petistas; CPI da dívida pública do Município (de R$ 18 bilhões), do PC do PB; outra referente ao Tribunal de Contas do Município (TCM), que será apresentada pelo PSDB; e a CPI do Túnel Ayrton Senna, que deverá ser apresentada pelo PMDB.Nesta segunda-feira, os vereadores decidiram que a apresentação de mais de cinco CPIs, como define o Regimento Interno, será decidida pelo plenário. "A vontade da maioria vai decidir a ordem. Se existir uma sexta CPI, o plenário vota, e se for aprovado por maioria simples (28 votos), essa CPI entra no lugar da última, que é congelada", disse Cardozo.Com isso, o PT, que tem uma base de apoio de 19 votos e conta com cerca de 30 votos na Casa, pode decidir que CPI deverá tramitar na Casa e assumir a maioria delas.A bancada do PT escolheu nesta segunda-feira três representantes para a sua bancada na Câmara Municipal e, com isso, conseguiu agradar todas as "correntes internas" do partido e evitar um racha.O vereador e médico Carlos Neder será o novo líder da bancada. Ele é ligado ao ex-líder do PT e presidente da Casa. O vereador Arselino Tatto, ligado ao grupo do líder da prefeita na Câmara, José Mentor, é o vice-líder da bancada e, junto a Neder, será responsável pela articulação do partido em plenário. Já o vereador Nabil Bonduki, que representa o grupo dos novos dentro do PT, será o 2º vice-líder e cuidará da organização da bancada. "Os nomes foram decididos por consenso", disse Neder segudna-feira, após 5 horas de reunião.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.