Governo de São Paulo
Governo de São Paulo

Câmara revoga dispositivo que atenua pena para jovens de 18 a 21

Por pressão de partidos da base e da oposição, mudança no Código Penal não valerá para réus com mais de 70 anos

Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

07 Novembro 2017 | 21h00

BRASÍLIA - O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira, 7, um projeto que revoga o dispositivo do Código Penal que atenua a pena e reduz o prazo de prescrição para menores de 21 anos e maiores de 18 anos. Por pressão de partidos da base governista e da oposição, a atenuante e a prescrição menor para réus com mais de 70 anos foram mantidas no Código Penal.

+++ Presos de Mato Grosso combinam greve de fome por WhatsApp

Inicialmente, o texto em votação previa a revogação do benefício para réus maiores de 70 anos. Por pressão de partidos com investigados na Operação Lava Jato dessa faixa etária, a proposta foi retirada do texto final. O PSDB chegou a apresentar um destaque reinserindo a revogação da medida para maiores de 70 anos, mas a sugestão de alteração no texto foi rejeitada pelo plenário.

+++ Pombos são capturados ao transportar celulares para cadeias em SP

Hoje, os artigos 65 e 115 do Decreto-Lei 2.848 de 1940 preveem que jovens entre 18 e 21 anos e cidadãos acima de 70 anos têm direito a pena reduzida e prescrição do prazo para a investigação (estabelecido pelo tipo de crime cometido) cortado pela metade.

+++ 'Prender menos é a solução para cadeias superlotadas no País'

No plenário, o relator do projeto, Subtenente Gonzaga (PDT-MG), alegou que o objetivo da proposta principal foi mantido, que era atacar a faixa etária que mais comete crimes no País: jovens de 18 a 21 anos. O projeto seguirá agora para o Senado e, se for aprovado, valerá para os crimes cometidos daqui para a frente. 

Os deputados também incluíram no plenário um artigo permitindo que menor de 18 anos e maiores de 16 podem prestar queixa na delegacia sem a necessidade da presença de um representando legal maior de idade. 

O projeto aprovado nesta noite é um dos itens do pacote de segurança patrocinado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

 

 

Mais conteúdo sobre:
Câmara dos Deputados Rodrigo Maia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.