Câmara usa cautela com pedido de cassação contra Marta

Ao contrário do que ocorreu na administração passada, quando um pedido de afastamento do ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta (PSL) provocou uma revolução política na Câmara, os vereadores adotaram a cautela em relação ao pedido de afastamento da prefeita Marta Suplicy (PT).A própria bancada de oposição evitou discursos inflamados na sessão desta quarta-feira e foi cuidadosa nas declarações à imprensa.Até esta quarta, apenas o PPB tinha oficializado o integrante da comissão que analisará o pedido de cassação interposto pelo advogado Samir Achôa. Achôa representa uma empresa que cobra juros e correção monetária de um precatório (dívida contraída de sentenças judiciais ) da Prefeitura.O vereador Milton Leite (PMDB) afirmou que ele será o representante do partido, mas a escolha ainda não foi fechada pela bancada."Estamos analisando juridicamente a peça", disse o vereador Ricardo Montoro (PSDB). O pepebista Curiati teve a mesma prudência. "Quero analisar antes de qualquer posição", disse Curiati.Os aliados da prefeita na Câmara sustentam que o pedido não tem sustentação jurídica e que a Prefeitura estabeleceu um novo cronograma para pagamento dos precatórios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.