Câmara vota as contas de Paulo Maluf

A Mesa Diretora da Câmara dos Vereadores de São Paulo inverteu as pautas da ordem do dia da sessão de amanhã e decidiu votar as contas de 1994 do ex-prefeito Paulo Maluf (PPB). A decisão foi costurada nos bastidores pelo vereador Erasmo Dias, companheiro partidário de Maluf, e pegou no contrapé vereadores do PSDB que preparam a instalação da CPI do Tribunal de Contas do Município (TCM).As contas de 1994 de Maluf já foram aprovadas pelo TCM, mas os vereadores pretendiam recolocá-las em discussão a partir do momento em que a CPI fosse oficialmente instalada o que deve acontecer no próximo dia 20."Em 30 anos de existência, o TCM rejeitou apenas as contas de três anos do governo de Luíza Erundina (PSB) e a do último ano do governo Celso Pitta (PPB) quando os escândalos em sua administração já haviam estourado", afirma o presidente da CPI do TCM, vereador Gilson Barreto (PSDB). Ele argumenta que apenas estas observações já "seriam suficientes" para "colocar em dúvidas" os métodos utilizados pelo TCM.Barreto diz que a Câmara também aprovou a CPI do Plano de Atendimento à Saúde (PAS) e a CPI da Educação, que irão "discutir exatamente gastos da prefeitura durante os períodos de Maluf e Pitta". Para Barreto, já existem elementos suficientes para se colocar novamente em discussão as contas aprovadas pelo TCM destes dois governos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.