Camelôs de SP já vendem bilhetes do Metrô roubados

Poucas horas depois do roubo dos 2 milhões de bilhetes do Metrô de São Paulo dentro do Aeroporto Internacional de Guarulhos já era possível encontrar as passagens sendo vendidas por ambulantes na Praça da Sé, no centro da capital paulista. Às 6 horas de ontem, um camelô, que preferiu não se identificar, foi flagrado vendendo os bilhetes na barraquinha. Informado do roubo, ele alegou que desconhecia que as passagens eram roubadas. O ambulante revelou que comprou os bilhetes por R$ 3,00 e pretendia vendê-los por R$ 3,50. Nas bilheterias, o múltiplo de 2 é vendido normalmente a R$ 3,60. O camelô, entretanto, não revelou aonde conseguiu o produto e ainda disse não saber o nome da pessoa que repassou as passagens roubadas. À tarde, ainda desconhecendo a informação de que camelôs já vendiam os bilhetes comemorativos, o Metrô alertava sobre o destino mais provável dos tíquetes roubados - as barracas dos ambulantes - e alertava para que a população não comprasse passagens fora dos locais autorizados. Mas a empresa descartou a hipótese de os criminosos reprogramarem as passagens para reutilizá-las normalmente nas catracas. Por conta do roubo, a venda de bilhetes múltiplos de dois será suspensa a partir de hoje por uma semana. Nesse período, o unitário será vendido por R$ 1,80 - R$ 0,10 a menos que o preço atual. A medida foi adotada para não prejudicar os passageiros que costumam comprar o bilhete de ida e volta, que custa R$ 3,60. Quem já comprou esse tipo de passagem e viajou uma vez poderá usá-la por mais uma viagem. Quem ainda não a usou deve trocá-la por dois unitários nas estações.

Agencia Estado,

11 de setembro de 2004 | 09h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.