Camelôs entram em confronto com guarda municipal no Rio

No mesmo dia em que a Guarda Municipal apresentounovos equipamentos, entre os quais 50 armaduras para proteção em conflitos, a corporação voltou a entrar em confronto com camelôs no centro do Rio.Houve pânico, correria e a maioria das lojas da região fechou as portas.O tumulto começou por volta de 18h30, horário de grande movimento. De acordo com um policialmilitar que orientava o trânsito na esquina da Avenida Rio Branco e da Rua Sete deSetembro, os camelôs lançaram rojões e pedras contra os guardas, que jogaram as pedras de volta e usaram bombas de efeito moral.?Isso aqui virou uma praça de guerra e eu não pude fazer nada?, afirmou o PM, quepediu para não ser identificado. Segundo testemunhas, tiros também foram disparados.Horas antes, durante a cerimônia de apresentação do novo equipamento da guarda, referindo-se aos constantes conflitos com os camelôs, o prefeito César Maia afirmara que apoiará integralmente a corporação mesmo que, eventualmente, excessos sejam cometidos. Por volta de 19h15, os guardas começaram a deixar o centro.Não houve registro de feridos.

Agencia Estado,

28 de novembro de 2002 | 19h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.