Câmera da Prefeitura registrou momento da explosão de restaurante

Três pessoas morreram e 17 ficaram feridas; Prefeitura pede doação de sangue

estadão.com.br,

13 Outubro 2011 | 14h50

RIO - Uma câmera de monitoramento da Prefeitura do Rio registrou a explosão ocorrida na manhã desta quinta-feira, 13, no restaurante Filé Carioca, no centro do Rio. Três pessoas morreram - o cozinheiro e dois pedestres que passavam pelo local - e 17 ficaram feridas - três com gravidade - com a explosão.

"Imagino que houve um acúmulo de gás", afirmou coronel Henrique Lima de Castro, comandante da Guarda Municipal do Rio, em entrevista à Estadão/ESPN. A explosão no restaurante, na Praça Tiradentes, aconteceu após o cozinheiro responsável pela abertura do local ligar o interruptor.

Segundo o Comandante Geral do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Simões, a causa mais provável da explosão é um vazamento de gás de um botijão. O Corpo de Bombeiros do Rio informou que o estabelecimento não tinha autorização para usar botijões de gás. Segundo a corporação, o edifício não tinha condições de segurança para abrigar este tipo de material.A região é servida por gás encanado, mas o restaurante não era abastecido por este serviço.

 

Sangue. A Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil (SMSDC) solicitou em nota que a população doe sangue para manter abastecidos os estoques das unidades de saúde, especialmente aquelas que estão prestando atendimento às vítimas da explosão ocorrida na Praça Tiradentes, no centro da Cidade.

As doações são essenciais para os atendimentos de urgência e emergência. Para doar sangue é preciso ter entre 18 e 60 anos, pesar mais de 50 quilos e estar em boas condições de saúde. As doações podem ser feitas diretamente no Hemorio que fica na Rua Frei Caneca, 8 - centro. Mais informações no Disque Sangue: 0800-282-0708./PEDRO DANTAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.