Caminhada pela paz reúne 15 mil em São Paulo

Uma caminhada organizada pelo Fórum em Defesa da Vida reuniu hoje pela cerca de 15 mil pessoas no Jardim Ângela, na extrema zona Sul da capital. A 9ª Caminhada Pela Vida e Paz em Favor do Desarmamento partiu de umapraça na estrada do M?Boi Mirim e terminou no Cemitério São Luiz, onde foi inaugurado um posto de arrecadação de armas. Segundo a coordenadora do Fórum em Defesa da Vida, Célia Cymbalista, o objetivo da passeata era chamar a atenção dasociedade civil para a questão da violência. "A passeata e a celebração foram muito boas. Conseguimos a mobilização quequeríamos não só para a questão do desarmamento, mas também para o referendo que acontecerá no ano que vem sobre aquestão das armas".O Jardim Ângela, explica a coordenadora, é uma das áreas onde se registra o mais alto índice de exclusão social e mortesviolentas na capital. "Por isso, a passeata é marcada para o Dia de Finados. Aqui na região o índice de jovens entre 14 e 24 anosque morrem violentamente é muito alto e a maioria deles é enterrada no Cemitério São Luiz", disse. A cada 100 mil habitanteseram registradas 120 mortes no Jardim Ângela em 1996. "O índice já diminuiu um pouco". Atualmente o número de mortos é 80.Para Célia, a carência de serviços de saúde e educação, além da baixa oferta de lazer e moradia, são os principais motivos que incentivam a violência no local. "Queremos mostrar para nós mesmos que temos força e presença para lutar contra essarealidade e para alertar outras partes da cidade para a existência desse movimento, além de chamar a atenção dos governantes eautoridades para que eles dêem mais atenção a regiões como a nossa". As informações são da Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.