Caminhada penitencial atrai milhares em Salvador

A Caminhada Penitencial dos Mares ao Bonfim, promovida desde 1989 pela Arquidiocese de Salvador, atraiu mais uma vez milhares de fiéis na manhã deste domingo, na cidade baixa. O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, cardeal-arcebispo dom Geraldo Majella Agnelo, celebrou missa campal às 7h30, antes da caminhada e comandou o cortejo que percorreu cerca de seis quilômetros entre as igrejas dos Mares e de Nosso Senhor do Bonfim.Na homilia da missa, dom Geraldo preferiu dar ênfase mais aos temas espirituais que aos problemas sociais que tratou em anos anteriores ou nas recentes entrevistas quando criticou a submissão do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva aos banqueiros e ao Fundo Monetário Nacional, o que segundo o religioso agrava o problema da miséria no Brasil.A missa foi concluída por volta das 8h50 e dez minutos depois teve início a caminhada, animada por carros de som. Na frente padres e diáconos levavam uma grande cruz de madeira. Quando os penitentes passaram em frente ao complexo das Obras Sociais Irmã Dulce, soldados do Exército recolheram alimentos não perecíveis para o Hospital Santo Antonio (de Irmã Dulce) e uma entidade que acolhe pacientes infectados com o vírus da aids.Por volta das 10 horas, os fiéis subiram a colina do Bonfim e na frente da igreja esperaram cerca de 20 minutos até que se iniciasse uma segunda pequena procissão com a imagem de Nosso Senhor do Bonfim trazida da cidade portuguesa de Setúbal em meados do século 18 pelo capitão-de-mar-e-guerra Thodózio Rodrigues de Farias. Apesar do forte calor, as pessoas pareciam reconfortadas com as celebrações da Igreja de Salvador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.