Caminhão desgovernado invade procissão e mata 9 pessoas em Alagoas

Entre os mortos estão o caminhoneiro e uma menina de 3 anos; veículo explodiu no acidente

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

09 de dezembro de 2011 | 02h50

SÃO PAULO - Um caminhão, do tipo caçamba, desgovernado, carregado de areia e tijolos, invadiu uma procissão, às 16h45 de quinta-feira, 8, e deixou um saldo, até o momento, segundo os bombeiros e o Instituto Médico Legal (IML), de pelo menos 9 pessoas mortas e diversos feridas em Feira Grande (AL), a 150 quilômetros de Maceió, no agreste alagoano.

 

O veículo desceu uma ladeira e atingiu uma multidão que havia acabado de chegar do cortejo religioso e estava parada em frente à igreja de Nossa Senhora da Conceição - padroeira da cidade - na praça central, onde ocorria uma missa.

 

Oito pessoas morreram no local, a maioria carbonizada, pois o veículo, ao se chocar contra a praça, tombou e explodiu. Muitas pessoas, com ferimentos leves, nem chegaram a ser socorridas ou então foram atendidas em unidades médicas de pequeno porte.

 

As vítimas com ferimentos mais graves, pelo menos 15, foram encaminhadas pelos bombeiros e pelo SAMU, para a Unidade de Emergência Doutor Daniel Houly, em Arapiraca, cidade vizinha.

 

Entre os feridos estava Bruniele, de 3 anos, que já teria chegado morta. Doze vítimas foram atendidas e até o início desta madrugada de sexta-feira, 9, já haviam sido liberadas. Paloma, de 8 anos, continua internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Uma senhora permanece sob observação.

 

Entre as vítimas está o motorista do caminhão. Preso nas ferragens, o caminhoneiro, ainda não identificado, também morreu carbonizado. Testemunhas contam que o veículo, com placas de Arapiraca, teria ficado sem freio.

 

O condutor ainda desviou o máximo que pode, acessando a contramão da ladeira, para não atingir um número maior de pessoas. Mais de 1.000 pessoas participavam da procissão. O caminhão também atingiu três carros e cinco motos que estavam parados próximo à praça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.