Caminhão perde freio, atinge carros e mata 4 na Fernão Dias

A imprudência de um motorista do caminhão que vinha da cidade de Nuporanga, a pouco mais de 200 quilômetros de São Paulo, causou uma tragédia no início da noite deste domingo na Rodovia Fernão Dias, principal eixo de ligação entre São Paulo e Minas Gerais. Quatro pessoas morreram; quinze ficaram feridas. O motorista do caminhão, cuja identidade não foi revelada, teve de ser levado sob proteção para a delegacia de Mairiporã, na Grande São Paulo. Moradores e motoristas ameaçavam linchá-lo. O patrulheiro rodoviário Antônio Carlos Martins foi um dos primeiros a conversar com o motorista. ?Ele disse que faltou freio.? De acordo com testemunhas, às 19h15, o caminhão, carregado com ração animal, trafegava em alta velocidade, no sentido Interior-Capital, pelo acostamento da rodovia.Na altura do km 63, próximo à entrada da cidade de Mairiporã, o trânsito afunilou por causa de uma lombada eletrônica, que obriga os motoristas a reduzirem a velocidade na entrada do trecho urbano da estrada.Contra o barranco Com a diminuição do ritmo, o motorista não teria conseguido frear. O trecho é percorrido em descida. Ele, então, teria jogado o caminhão contra o barranco na lateral direita da rodovia. Por causa da alta velocidade, o veículo voltou para a pista e tombou sobre quatro carros. O caminhão ainda se arrastou por mais 10 metros e atingiu mais 15 veículos antes de parar. Três homens e uma mulher morreram na hora. Até as 22h45, apenas a identidade de uma das vítimas havia sido revelada: Valter de Almeida, 34 anos, que estava em um dos carros sobre o qual o caminhão tombou. Cena de filme?Parecia cena de filme. Eu vi o caminhão arrastando os carros. Tive sorte de escapar?, disse o vendedor José Vanderlei Carvalho, 52 anos. Ele dirigia um Gol branco, que foi levemente atingido por outros carros. ?Ouvi um barulho muito forte e vi um vulto grande pelo retrovisor. Minha reação foi jogar o carro contra o guardrail?, contou Osvaldo de Oliveira, 34 anos, que dirigia um Vectra. ?Logo depois vi a parte traseira da carreta passando pelo meu carro, que ainda foi atingido na parte traseira.?CongestionamentoPor conta do acidente, a Polícia Rodoviária Federal fechou as duas pistas da estrada. O congestionamento ultrapassou os vinte quilômetros. A liberação parcial, no sentido Capital Interior só ocorreu às 21h45. Até o fim da noite, o congestionamento ainda era de quase 10 quilômetros. A Polícia Rodoviária Federal teve de montar uma operação de grande porte para conseguir liberar a rodovia. Pelo menos 11 viaturas do Corpo de Bombeiros de Guarulhos e guinchos foram deslocados até o local. Retroescavadeiras e três caminhões trabalhavam na retirada da carga espalhada pela pista. Cinco viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram ao local para remover os feridos para os hospitais de Mairiporã, Franco da Rocha, Guarulhos e Atibaia. Pelo menos quatro pessoas estavam em estado grave, com politraumatismos.Matéria alterada às 23h35 para atualização de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.