Caminhões de lixo são novos alvos; motorista de ônibus fica gravemente ferido

Na noite de quinta-feira, 13, e na madrugada desta sexta, dois caminhões de coleta de lixo foram incendiados. A coleta nas regiões sul e leste de São Paulo já voltou ao normal. Até às 6h30 desta manhã, havia o registro de 15 ataques a alvos civis, como ônibus, agências bancárias, terminais rodoviários, lojas de veículos, e militares, como bases da PM e delegacias de polícia. Duas pessoas - um policial militar e um motorista de ônibus - tinham sido feridas e três pessoas foram presas. Em Nova Odessa, região metropolitana de Campinas, um motorista de ônibus teve cerca de 75% do corpo queimado após o ataque de incendiários na noite de quinta-feira, 13. Apesar da continuidade da violência, o paulistano não enfrentou problemas com o transporte coletivo como na quinta-feira, 13. Os ônibus de todas as empresas que operam na capital circulam normalmente, como havia garantido a São Paulo Transportes (SPTrans).Os terminais de ônibus abriram normalmente na manhã de hoje e todas as linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) seguem com a circulação de trens dentro da normalidade; o mesmo ocorre com o Metrô.Motorista feridoO motorista de ônibus Manoel Francisco da Silva, de 44 anos, teve cerca de 75% do corpo queimado, no primeiro caso com um ferido grave de ataques contra o transporte urbano. Em São Vicente, um menino de 2 anos e 9 meses, teve queimaduras de segundo grau após ser ferido no incêndio de um ônibus, atacado com um coquetel molotov na noite de quarta-feira, 12.Silva havia acabado de estacionar o veículo no ponto final da rua Maximiliano Dalmédio por volta das 21 horas. Quando o único passageiro desembarcou chegaram quatro rapazes quebrando o pára-brisa do veículo. A seguir, jogaram um coquetel molotov que espalhou o fogo rapidamente. Segundo testemunhas, o motorista entrou em pânico com a propagação das labaredas e demorou a se soltar do cinto de segurança. As chamas atingiram tronco, braços, pernas e mão direita provocando queimaduras de segundo e terceiro graus. Instantes depois, o motorista conseguiu sair do veículo. Seu corpo estava em chamas e ele foi socorrido por populares. O ônibus da empresa Auto Viação Ouro Verde rodou desgovernado por cerca de 300 metros, batendo em um poste de energia elétrica. O motorista foi encaminhado ao pronto socorro mas, na madrugada, transferido para o Hospital Municipal Waldemar Tebaldi. Conforme informações de plantonistas, ele será transferido para a unidade hospitalar especializada em tratamento de queimados em Sorocaba. EscoltaApós o ataque no bairro Santa Luiza 1, a empresa orientou para que os motoristas retornassem as garagens. A justificativa era de "preservar a integridade de funcionários e usuários". Cerca de dez carros e trinta homens da Policia Militar fizeram a escolta e intensificaram o policiamento em toda a cidade. Os quatro suspeitos não foram localizados. Solange Spigliatti, Rose Mary de Souza, Ricardo Valota e Carlos Mercuri

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.