Caminhoneiro mata motoboy após ser fechado no trânsito

Motorista estava supostamente embriagado; piloto morreu na hora

Camilla Haddad, O Estadao de S.Paulo

17 de julho de 2008 | 00h00

O motociclista Odair de Souza Muniz, de 31 anos, morreu anteontem à tarde após ter sua moto derrubada por um caminhão e ser atropelado pelo veículo na Rodovia Castelo Branco, em Barueri, Grande São Paulo. Segundo a polícia, momentos antes da batida, o motorista do caminhão, Diogo da Costa Afonso, de 20 anos, teria sido fechado pelo jovem. Ele perseguiu a Honda CG do motoboy até derrubá-la. O caminhoneiro, ainda segundo policiais, parecia estar embriagado. Ele está preso na Cadeia Pública de Cotia, na mesma região.Muniz voltava de mais um dia de trabalho como entregador. Ao ser atingido, na alça de acesso a Alphaville, o motociclista morreu na hora. Mesmo após derrubar a moto, Afonso seguiu em alta velocidade e bateu em três postes, até parar o veículo. O caminhoneiro estava de passagem pela cidade e sofreu apenas um corte na testa. Afonso foi indiciado por homicídio qualificado. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, ele não fez o teste do bafômetro, mas foi levado ao Instituto Médico-Legal para que os médicos, por meio de exame clínico, verificassem se ele estava embriagado. O laudo deve sair em 30 dias.Depois de ser detido, o caminhoneiro, que dirigia um modelo Mercedes Benz 1978, teve a carteira de habilitação apreendida. Na 2ª delegacia de Barueri, onde o caso foi registrado, ele se recusou a dar detalhes da discussão que ocorreu na estrada. E negou ter matado Muniz de propósito. De acordo com a polícia, o motoqueiro foi atropelado ao passar por um trecho considerado urbano. Ali, ele reduziu a velocidade e foi pego pelo caminhoneiro. A Viaoeste, responsável pela rodovia, não filmou a cena.O corpo de Muniz foi enterrado ontem, no Cemitério Municipal de Itapevi. Pelo menos 80 pessoas estiveram presentes. "Espero que o caminhoneiro fique preso por muito tempo, para pagar por tudo o que fez com meu filho" afirmou o pai da vítima, o autônomo Manoel Muniz. A mãe estava em estado de choque.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.