Campanha contra poliomielite imuniza 8,2 mi de crianças

Resultado parcial divulgado pelo Ministério da Saúde aponta que 48% da meta foi alcançada

Francisco Carlos de Assis, do Estadão,

26 Agosto 2007 | 00h30

A segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra poliomielite realizada neste sábado, 25, conseguiu imunizar em todo o País 8.274.430 crianças com até cinco anos, segundo estima parcial do Ministério da Saúde. Este número representa 48% da meta de vacinação, que é de 16,3 milhões de crianças.  O resultado final da campanha deverá ser conhecido em quatro semanas, segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Saúde. Mas a expectativa é de que a meta de 16,3 milhões seja ultrapassada e se aproxime dos 17,2 milhões de crianças com essa idade no País. De acordo com o ministério, a demora na apuração total é comum em todas as campanhas porque muitos municípios ainda repassam os seus números por fax.  Em São Paulo, estado com maior nível de informatização dos dados, foram vacinadas 1.862.358 crianças, o que equivale a 54,34% das crianças com idade de receber a imunização contra a poliomielite. Mínimo projetado Do total de 17,2 milhões de crianças a serem vacinadas, o governo estima que o mínimo projetado para manter a doença erradicada no País é de 16,3 milhões de crianças, ou 95% do total. O Brasil não registra casos de poliomielite desde 1989.O governador de São Paulo, José Serra, participou na manhã deste sábado da campanha, vacinando crianças no Parque Villa Lobos. Ele informou que foram mobilizados cerca 20 mil postos de vacinação (fixos e volantes) em todo o Estado, que não registra casos da doença desde 1988.  "Quem não puder vacinar hoje (sábado) tem a possibilidade de vacinar a criança no posto de saúde mais próximo de sua casa e deve fazê-lo com a maior urgência", disse o governador. "A poliomielite está erradicada porque as campanhas de vacinação permanecem", acrescentou. Todas as crianças deveriam tomar esta segunda dose, pois somente com ela está garantida a imunidade contra a doença. Mesmo quem não foi aos postos na primeira fase deve ir agora. Além da dose contra paralisia, as crianças poderão receber doses de vacinas que estejam em atraso na caderneta, como Tetravalente (contra difteria, tétano, coqueluche), Tríplice viral (contra sarampo, caxumba e rubéola) e contra hepatite B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.