Campanha de Lula é a que mais arrecadou

As contas dos candidatosLuiz Inácio Lula da Silva (PT)Arrecadação: R$ 5.686.558Gastos: R$ 4.196.168,07Geraldo Alckmin (PSDB)Arrecadação: R$ 1.322.697,68Gastos: R$ 1.889.387,48Heloisa Helena (PSOL)Arrecadação: R$ 105.099,41Gastos: R$ 0,00Cristovam Buarque (PDT)Arrecadação: R$ 150.000Gastos: R$ 70.209,72José Maria Eymael (PSDC)Arrecadação: R$ 5.950Gastos: R$ 263Luciano Bivar (PSL)Arrecadação: R$ 229.032,36Gastos: R$ 32.325,89Fonte: Prestações de contas parciais entregues até ontem ao TSECandidato à reeleição, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva é, pelo menos por enquanto, campeão em arrecadação e gastos na campanha deste ano. Conforme prestação de contas parcial entregue neste domingo ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o comitê financeiro nacional da campanha do presidente conseguiu uma receita de R$ 5.686.558 e gastou R$ 4.196.168,07. Desses, R$ 3.496.396,68 foram gastos com a campanha de Lula. O restante foi doado para outros candidatos ou comitês de políticos aliados.Por enquanto, a campanha de Lula gastou mais com publicidade. De acordo com a prestação de contas protocolada no TSE, foram consumidos R$ 1.001.141 com publicidade por materiais impressos e R$ 250 mil com publicidade por placas, estandartes e faixas. Outros gastos de relevância foram R$ 500 mil com produção de programas de rádio, televisão ou vídeo, R$ 500 mil com produção de jingles, vinhetas e slogans e R$ 469.250 com pesquisas ou testes eleitorais. Com transporte ou deslocamento foram gastos R$ 206.303,92. Não constam despesas com água e alimentação. Ao pedir o registro de sua candidatura ao TSE, Lula informou que pretende gastar com a campanha no máximo R$ 89 milhões.Os outros candidatos à Presidência declararam arrecadações e despesas mais modestas do que as de Lula. Segundo colocado nas pesquisas de intenção de voto, Geraldo Alckmin, do PSDB, informou que, por enquanto, os gastos foram maiores do que a arrecadação. O seu comitê financeiro registrou receitas de R$ 1.322.697,68 e despesas de R$ 1.889.387,48. O maior gasto da campanha foi de R$ 989.698,67, relativos a serviços prestados por terceiros. Com alimentação foram consumidos R$ 10.042,45 e com água, R$ 1.642,29. As despesas com transporte e deslocamento foram de R$ 152.958,19. Ao solicitar o registro no TSE, Alckmin disse que espera gastar no máximo R$ 85 milhões com a campanha.Terceira colocada nas pesquisas, a senadora Heloisa Helena (Psol) arrecadou por enquanto R$ 105.099,41. Segundo a prestação de contas entregue ao TSE, esse valor refere-se exclusivamente a receitas estimáveis em dinheiro, que têm origem em doações de bens, produtos e serviços como passagens aéreas e alimentação. Não foram declaradas despesas, porque foram todas cobertas por essas doações. O candidato do PSDC à Presidência, José Maria Eymael, afirmou ter gasto por enquanto R$ 615,04 com transporte. O seu comitê financeiro teve despesas de R$ 98 com transporte e R$ 165 com alimentação.Já o comitê financeiro da campanha de Luciano Bivar (PSL) informou mais gastos com deslocamento. Foram declarados R$ 21.069,64 de despesas com transporte ou deslocamento. O candidato do PCO, Rui Pimenta, não tinha protocolado no TSE sua prestação de contas até as 19 horas de hoje.A prestação parcial de contas dos candidatos, uma das novidades desta eleição, foi criada pela minirreforma eleitoral. De acordo com a nova legislação, os candidatos tinham até hoje para fazer a primeira prestação de contas parcial. A segunda deverá ser entregue à Justiça até o dia 6 de setembro. A última e completa prestação de contas deverá ser feita após a eleição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.