Campinas abre CPI para apurar corrupção

A Câmara Municipal de Campinas instaurou ontem uma comissão parlamentar de inquérito para investigar os supostos responsáveis por fraudes em licitações, irregularidades na aprovação de empreendimentos imobiliários e instalação de antenas de telefonia, e a obtenção de vantagens e evolução patrimonial indevidas.

Tatiana Fávaro / CAMPINAS, O Estado de S.Paulo

30 Agosto 2011 | 00h00

Os alvos de investigação da CPI são os mesmos que justificaram a abertura da Comissão Processante (CP) e levaram à cassação do ex-prefeito Dr. Hélio (PDT). Autor do pedido de CPI é o mesmo que solicitou a CP, o vereador e pré-candidato do PSDB às eleições no ano que vem, Artur Orsi. Ele conseguiu 14 assinaturas - três a mais que as necessárias para a abertura da CPI. A comissão terá 90 dias para realizar as investigações.

A Comissão Processante foi formada em maio, após o Ministério Público desarticular suposto esquema de corrupção no primeiro escalão da administração de Dr. Hélio. A CP apurou irregularidades em autorizações para parcelamento do solo (loteamentos), instalações de antenas de telefonia celular no município e em contratos da Sanasa, a empresa de saneamento de Campinas que foi alvo de investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

O relatório final apresentado pela comissão responsabilizou Dr. Hélio em três denúncias: omissão em relação às infrações político-administrativas e atos de corrupção praticados por sua equipe na Sanasa; irresponsabilidade legal e política na defesa de bens, rendas e direitos do município no parcelamento do solo, e comportamento incompatível com a dignidade e decoro de seu cargo ao ignorar tráfico de influência na liberação de alvarás para instalação de antenas de celulares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.