Campinas abre CPI para apurar corrupção

A Câmara Municipal de Campinas instaurou ontem uma comissão parlamentar de inquérito para investigar os supostos responsáveis por fraudes em licitações, irregularidades na aprovação de empreendimentos imobiliários e instalação de antenas de telefonia, e a obtenção de vantagens e evolução patrimonial indevidas.

Tatiana Fávaro / CAMPINAS, O Estado de S.Paulo

30 de agosto de 2011 | 00h00

Os alvos de investigação da CPI são os mesmos que justificaram a abertura da Comissão Processante (CP) e levaram à cassação do ex-prefeito Dr. Hélio (PDT). Autor do pedido de CPI é o mesmo que solicitou a CP, o vereador e pré-candidato do PSDB às eleições no ano que vem, Artur Orsi. Ele conseguiu 14 assinaturas - três a mais que as necessárias para a abertura da CPI. A comissão terá 90 dias para realizar as investigações.

A Comissão Processante foi formada em maio, após o Ministério Público desarticular suposto esquema de corrupção no primeiro escalão da administração de Dr. Hélio. A CP apurou irregularidades em autorizações para parcelamento do solo (loteamentos), instalações de antenas de telefonia celular no município e em contratos da Sanasa, a empresa de saneamento de Campinas que foi alvo de investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

O relatório final apresentado pela comissão responsabilizou Dr. Hélio em três denúncias: omissão em relação às infrações político-administrativas e atos de corrupção praticados por sua equipe na Sanasa; irresponsabilidade legal e política na defesa de bens, rendas e direitos do município no parcelamento do solo, e comportamento incompatível com a dignidade e decoro de seu cargo ao ignorar tráfico de influência na liberação de alvarás para instalação de antenas de celulares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.