Campinas cria movimento entre vizinhos para conter violência

O Movimento Campinas Reage, criado por moradores da cidade, irá lançar amanhã o Programa Vizinhança Alerta, que pretende mobilizar vizinhos para denunciar suspeitos de crimes. O projeto foi inspirado em similares praticados em cidades como Londres e Los Angeles. Durante o lançamento, para o qual foram convocados associações e sociedades de bairros, líderes religiosos e estudantis, serão distribuídas 500 cartilhas sobre como implantar o sistema. Ele pode mobilizar moradores de um prédio, uma rua, um quarteirão, uma escola ou uma comunidade religiosa, explicou a coordenadora de comunicação do Campinas Reage, Marilena Furlaneto. O grupo escolhe um líder que centralizará o repasse de informações e servirá de ponte junto aos representantes da polícia e da administração. Mas qualquer um poderá denunciar suspeitos aos serviços de segurança da cidade, como o disque-denúncia ou a Polícia Militar. Na cartilha está descrito desde como montar o grupo até identificar suspeitos. Segundo Marilena, a iniciativa vem sendo executada em alguns bairros, como Campos Elíseos e Sousas, com sucesso. "O objetivo é ampliá-lo ao maior número de comunidades possível", afirmou. A implantação do programa não exige equipamentos ou recursos, mas boa vontade dos vizinhos e organização. Uma lista com o número de telefones dos membros do grupo precisa ser produzida para facilitar o contato, conforme Marilena. A coordenadora defendeu que a mobilização na questão da segurança pode se estender para outras áreas sociais. "Uma comunidade organizada tem mais forças para reivindicar serviços públicos como uma área de lazer, por exemplo", alegou. Ela acrescentou que o Vizinhança Alerta pode se reverter em resgate da cidadania e retomada de espaços públicos abandonados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.