Campinas indeniza família de morta trocada de caixão

Cada um dos cinco filhos de Hortência Maria de Jesus vai receber R$5,7 mil pelo erro

Tatiana Favero, O Estado de S. Paulo

01 de maio de 2008 | 15h41

A autarquia Serviços Técnicos Gerais (Setec) da Prefeitura de Campinas (a 90 quilômetros de São Paulo), responsável pelo serviço público funerário, foi condenada a pagar indenização de R$ 5,7 mil, com correção monetária, a cada um dos oito filhos de Hortência Maria de Jesus. A Setec teria trocado o corpo de Hortência, que deveria ter sido enviado para São Paulo, para seu velório, em 2004, pelo de outra mulher.   A família de Hortência entrou com um processo judicial por danos morais contra a autarquia e o hospital Albert Sabin, onde morreram ambas. A Justiça condenou a Setec e inocentou o hospital. A sentença está no site do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.   A Setec vai se pronunciar após a publicação da sentença no Diário Oficial do Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.