Campos do Jordão corta salário de servidores

Economia de guerra para adequar o orçamento da prefeitura à Lei de Responsabilidade Fiscal. Este é o argumento do prefeito de Campos do Jordão, Lélio Gomes (PSB), para reduzir o salário de 300 servidores municipais, a partir desse mês, em porcentuais que variam de 5% a 80%. Quando tomou posse no início do ano, Lélio Gomes demitiu 600 funcionários e, mesmo com 1.500 servidores e uma folha de pagamentos de R$ 1,2 milhão, o prefeito diz que ainda gasta 80% da receita do município com salários. A economia vai atingir também o salário do prefeito, de R$ 9000,00, que será reduzido em 27%, e o dos secretários, que é de R$ 3500,00 e cairá na mesma proporção. Lélio Gomes explica que encontrou a prefeitura "inchada" de servidores, e pagando salários aumentados pelos seus antecessores. "Estou apenas adequando os salários á realidade" explicou.

Agencia Estado,

02 de agosto de 2001 | 15h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.