Cancelados 36,8% dos vôos desta quarta-feira, diz Anac

Cerca de 36,8% dos 1.184 vôos programados para esta quarta-feira nos principais aeroportos brasileiros registraram atrasos superiores a uma hora, de acordo com o boletim oficial da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Segundo a agência reguladora, o porcentual representou 436 vôos atrasados. Também foram registrados 122 cancelamentos de vôos, ou 10,3% do total previsto.O presidente da Anac, Milton Zuanazzi, considerou "alto" o número de atrasos, segundo ele justificado pelo efeito ainda represado dos cancelamentos do dia anterior. As decolagens noturnas de terça-feira programadas para Congonhas, exceto ponte-aérea, Confins (Belo Horizonte) e Brasília foram canceladas por determinação da agência. "É um média alta, mas ainda estamos recuperando a malha de terça-feira. Mas este final de tarde já foi bem melhor que o início da manhã", afirmou Zuanazzi ao deixar à noite o Ministério da Defesa onde se reuniu com Waldir Pires para tratar de assuntos relacionados ao orçamento da agência reguladora. Nesta quarta-feira, as situações mais críticas foram verificadas nos aeroportos paulistas de Cumbica e Congonhas e também em Brasília. No aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, de 117 vôos agendados, 48 tiveram atraso de mais de uma hora, o que corresponde a 45% do total. Em Congonhas, na zona sul da capital paulista, de 201 pousos e decolagens, 63 atrasaram. Em Brasília, no aeroporto internacional Juscelino Kubitschek, dos 86 vôos programados, 40 tiveram atraso. No Rio de Janeiro, no aeroporto do Galeão, de 94 vôos, 35 apresentaram atraso.A Anac também divulgou a relação de reclamações dos passageiros. A campeã foi Brasília onde foram registradas 189 reclamações formais enquanto em Cumbica foram 18, Congonhas, 13 e Salvador, 23. As filas nos embarques e balcões de check-in continuaram por todo o dia nos principais aeroportos, como reflexo das paralisações dos vôos noturnos na terça-feira. Nova paneO ministro Waldir Pires, o presidente Anac, Milton Zuanazzi, e o comandante da Aeronáutica, Luís Bueno, visitaram nesta quarta-feira o Centro de Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta-1) para verificar qual foi o problema que causou a pane no equipamento de rádio que faz a comunicação entre a Torre de Controle e os aviões. Segundo relato de Zuanazzi, a avaliação é que de houve um problema técnico, mas não descartou e nem confirmou a hipótese de uma possível sabotagem. "Isso está sendo investigado e nos cabe esperar o fim da investigação", concluiu. Ele negou que tenha ocorrido nesta tarde uma outra pane, semelhante a de terça-feira. Segundo ele, ocorreu, no final da tarde, uma pane, por dez segundos, no sistema de satélites da Embratel. "Isso afetou não só o nosso sistema, mas todos aqueles que utilizam a Embratel, mas, por apenas dez segundos", declarou, acrescentando que esse fato deu origem a uma boataria, mas não houve nenhum transtorno em aeroportos por causa disso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.