Cancelamento de viagens de negócios para os EUA chega a 44%

Cerca de 44% das viagens de negócios previstas para os Estados Unidos e 25% das programadas para a Europa foram canceladas na segunda quinzena de setembro, conforme levantamento do Fórum das Agências de Viagens Especializadas em Contas Comerciais (Favecc), que reúne as maiores agências do segmento corporativo no País.O principal motivo foram as preocupações geradas com os atentados terroristas aos Estados Unidos no último dia 11. Com isso, o tráfego executivo para o exterior caiu 19%, comparado ao mesmo período do ano passado. Já a quantidade de viagens de negócios dentro do País cresceu 3%."Prevemos uma retomada das viagens de trabalho internacionais em novembro, já que o segmento sofreu uma retração inesperada em setembro e outubro", afirma o presidente da entidade, Francisco Leme da Silva.O cenário foi traçado no fim da tarde de sexta-feira, antes, portanto, do início da operação militar americana contra o Afeganistão, neste domingo.As agências filiadas à Favecc concentram cerca de 29% de todos os bilhetes aéreos emitidos no País. Para Leme da Silva, os negócios em curso precisam ser fechados antes de dezembro e janeiro, períodos em que o mercado tradicionalmente desacelera, em razão das festas de fim de ano e férias.Os dados do movimento das companhias aéreas brasileiras relativos a setembro também mostram que houve aumento do tráfego interno, mas nova queda na viagens internacionais.Em setembro, o tráfego doméstico das companhias nacionais avançou 11,8%, e as taxas médias de ocupação avançaram de 57% para 58%. Nos vôos internacionais, houve redução média de 11,6%.As quedas já vinham ocorrendo, basicamente em razão do encarecimento das viagens para o exterior, por causa da alta do dólar. Por empresa, a Transbrasil foi a que mais reduziu sua oferta de vôos internacionais (92,7%). Na Varig, a queda foi de 12,9%.Já a demanda da TAM cresceu 61,3% comparada a setembro de 2000. A base de comparação da TAM em setembro do ano passado, contudo, era reduzida, e a empresa inaugurou novos vôos para o exterior no primeiro semestre do ano.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.