Cancelamentos da BRA ainda não geram atrasos nos aeroportos

Passageiros são remanejados para outros vôos; balcões da empresa estão fechados no Aeroporto de Congonhas

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

07 de novembro de 2007 | 08h33

Um dia depois de a BRA pedir a suspensão de todos os seus vôos nacionais e internacionais, a situação dos aeroportos de São Paulo e Rio de Janeiro era tranqüila. Por volta das 8 horas desta quarta-feira, 7, o balcão da BRA continuava fechado no Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista. A área inclusive estava às escuras, sem funcionários e nem representantes da empresa para dar explicações sobre o que fazer em relação às passagens. Técnicos do Procon remanejavam passageiros da BRA para a TAM, que vai aceitar bilhetes nacionais e internacionais da empresa.   TAM aceitará bilhetes nacionais e internacionais da BRA Força-tarefa vai fiscalizar atrasos em aeroportos Saiba o que fazer em caso de atraso ou cancelamento de vôo  Situação dos atrasos e cancelamentos nos aeroportos  Os passageiros que possuem bilhetes da empresa BRA podem ter informações sobre como proceder para a troca das passagens através do telefone divulgado pela companhia: (11) 3583-0122. O consumidor que não conseguir endossar o bilhete, ou não conseguir o dinheiro de volta deve procurar os Juizados Especiais Cíveis que funcionam nos aeroportos, e que tratam só de questões de empresas aéreas. Quem comprou passagem para viajar nas férias, em dezembro, e tiver bilhetes emitidos, serão realocados em outra companhia aérea. Apesar dos bilhetes da empresa terem sido remanejados, alguns passageiros não conseguiram embarcar nesta manhã, Suzana de Moura, que tentava embarcar para Petrolina (PE), contou  à Rádio Eldorado que enfrentava dificuldades. Ela falou que seu vôo estava marcado para 9h50 e que estava tentando junto ao Procon uma maneira de embarcar. "A gente está fazendo o possível para resolver essa situação. Nós não podemos ficar no prejuízo. É um desacato da empresa (BRA) para com as pessoas. A gente paga um valor...o cheque caiu rapidinho, na data certinha... Agora, para embarcar, enfrentamos toda essa confusão!" Atrasos Segundo a Empresa Brasileira de infra-estrutura Aeroportuária (Infraero), o Aeroporto de Congonhas operava por instrumentos desde a sua abertura, às 6 horas, devido ao mau tempo na zona sul. Congonhas tinha cinco cancelamentos e um vôo fora do horário previsto. Enquanto isso, o Aeroporto Internacional de São Paulo (Cumbica), em Guarulhos, operava normalmente e também não registrava grande número de atrasos. Até às 8 horas, 43 vôos estavam previstos para Cumbica, que registrava um vôo cancelado e um atraso superior a uma hora. No Rio de Janeiro, os aeroportos Tom Jobim e Santos Dumont operavam com a ajuda de instrumentos, também devido ao forte nevoeiro. No Tom Jobim, das 28 decolagens previstas até as 8 horas, uma estava com atraso de mais de uma hora e duas estavam canceladas. No Santos Dumont, apenas um vôo havia sido cancelado e não há registro de atrasos, nos 13 vôos programados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.