Candidata repaginada

Com a campanha, Marina adota cabelos soltos e blusas mais coladas ao corpo e coloridas

Carol Pires / Brasília, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2010 | 00h00

A rigidez permanente dos coques e a austeridade das roupas estão sendo trocadas ? ainda que gradualmente ? por blusas coloridas e cabelos mais soltos. Candidata do PV à Presidência, Marina Silva apareceu, no último fim de semana, de rosto maquiado, blusa estampada, calça jeans e cabelo em rabo de cavalo, exibindo, pela primeira vez na campanha, os cabelos encaracolados. A campanha tem deixado Marina radiante, admite seu marido, Fábio Vaz de Lima. Mas o sumiço do coque foi novidade apenas para o público. "Em casa ela sempre varia."

O novo penteado, mais solto, já foi experimentado em duas ocasiões. A primeira em entrevista à Rádio 730 AM, em Goiânia, na semana passada.

Mas o upgrade no visual foi percebido mesmo no último sábado, quando, em São Paulo, encontrou um militante criador do Twitaço, movimento que causou milhares de citações à senadora na internet.

Ao longo da trajetória parlamentar e à frente do Ministério do Meio Ambiente, Marina era sempre vista com ternos em tons pastéis ou escuros, longas saias étnicas e os indefectíveis xales usados para aplacar o ar condicionado dos gabinetes.

Com a campanha, começou a cultivar uma aparência mais arrojada. É difícil vê-la com xale em público. As blusas estão mais coladas ao corpo e coloridas. A candidata só se mantém fiel aos colares de sementes, pedras e madeiras ? estilo mantido desde a juventude no Acre.

Marina prende os cabelos em coque para esconder os fios brancos, que não pode tingir por causa de uma alergia. Aliados admitem ser provável que, pelo menos durante a campanha, o natural seja que ela ouse mais.

Contrastando com Dilma Rousseff, candidata do PT à sucessão de Lula, que passou por uma transformação mais radical (fez intervenção cirúrgica, trocou a cor e o corte de cabelo e os óculos pelas lentes de contato), Marina só começou a testar maquiagens entre o fim de abril e o começo de maio.

Usou, em um primeiro momento, produtos hipoalergênicos, dispensados em seguida por serem caros e por, algumas vezes, terem causado irritação.

O maquiador da Marina, Marcos Padilha, encontrou, enfim, duas linhas de maquiagem apropriadas e a senadora aprovou o estilo do profissional que não desconfigurou seu estilo. As maquiagens são uma da MAC e outra da Natura ? empresa cujo dono é o vice de Marina, Guilherme Leal.

Quando Leal foi escolhido para o posto, o cartunista Maurício Ricardo disse, em mensagem publicada no Twitter, que Marina ficaria "uma gata" tendo um vice dono da Natura e, de pronto, foi retrucado pela candidata: "Gata é pouco, vou ficar uma jaguatirica!"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.