Candidato a prefeito de Unaí (MG) é transferido

O fazendeiro e candidato a prefeito de Unaí (MG) pelo PSDB, Antério Mânica, foi transferido no início da tarde desta sexta-feira para a penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, região metropolitana Belo Horizonte. Antério foi preso na noite de quarta, em Unaí, por determinação judicial, após o irmão, Norberto Mânica, prestar depoimento na 9ª Vara da Justiça Federal em Minas.Norberto, que está preso desde o mês passado, é acusado de ser o mandante do assassinato de três fiscais e um motorista do Ministério do Trabalho, em janeiro deste ano. A prisão preventiva de Antério foi determinada pelo juiz Francisco de Assis Betti. Ele foi preso pela Polícia Civil de Minas Gerais depois levado para a Superintendência da Polícia Federal, em Brasília. A PF apurou indícios contra Antério durante as investigações."Tudo indica que vamos indiciar Antério Mânica pelo crime de mando", disse a procuradora do Ministério Público federal (MPF), Mirian Moreira Lima. Ela adiantou que o MPF não deverá cumprir o prazo de cinco dias que tem para se pronunciar sobre a prisão e apresentar ou não denúncia criminal.A principal suspeita que pesa sobre Antério, segundo a procuradora, é a informação surgida durante as investigações de que um veículo Fiat Marea de cor escura teria seguido no dia 27 de janeiro, véspera do crime, o carro do denunciado José Alberto de Castro num suposto encontro com os executores. "Ele foi tratar com os pistoleiros", afirmou Mirian. Quando surgiram as suspeitas em relação ao envolvimento de Norberto Mânica na chacina de Unaí, Antério chegou a ser uma espécie de porta-voz da família e repetiu diversas vezes que confiava na inocência do irmão. Os Mânica são megaprodutores de grãos na região do noroeste mineiro.

Agencia Estado,

17 de setembro de 2004 | 18h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.