Candidato do PSDB lembra mensalão e ataca petista na TV

Pela primeira vez no horário político, partido usa programa de Serra para dizer que Dilma'está se achando'

Bruno Tavares, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2010 | 00h00

O programa eleitoral do presidenciável tucano, José Serra, lançou ontem à tarde na TV novos ataques à adversária petista, Dilma Rousseff. Pela primeira vez desde o início do horário político, há oito dias, o candidato do PSDB lembrou o mensalão - suposto esquema de pagamentos a parlamentares em troca de apoio no Congresso.

A inserção, que ocupou os últimos 25 segundos do programa tucano, mencionou ainda dois personagens centrais do primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003 a 2006), os ex-ministros Antônio Palocci (Fazenda) e José Dirceu (Casa Civil).

A primeira frase do locutor foi: "A Dilma está se achando." Na tela, imagens de reportagens publicadas nas últimos dias em revistas e jornais iam se sucedendo. "A eleição nem começou e já tem briga dela com o Lula." E prosseguiu: "O povo nem votou e ela já está escolhendo os ministros." As referências a Palocci e Dirceu vieram no fim. "E olha quem quer voltar: Zé Dirceu, o mesmo do mensalão, e Palocci. O Brasil não merece isso."

No programa noturno na TV, eleitores de Serra apareceram comparando-o com Dilma. Sem falar o nome da petista, o tucano fez duas observações direcionadas à oponente. Primeiro, disse que era "preciso parar com a mania de grandeza". Depois, assinalou: "Não preciso ficar na sombra de ninguém."

A estratégia tucana de inserir cenas com ataques a Dilma no fim dos programas de TV começou no fim de semana. Pesquisa de intenção de voto divulgada no sábado apontava vantagem de 17 pontos para a petista na corrida presidencial.

No rádio, há mais alfinetadas da candidatura Serra. Ontem à tarde, após o jingle que diz que Dilma se apropria das realizações do governo Lula para se promover, um dos personagens que integram a publicidade tucana disparou: "Do jeito que ela (Dilma) anda pendurada em Lula, se ele se afastar ela cai." Sorrindo, o "narrador" emendou: "É esquisito esse negócio."

Fábrica. O programa de Dilma no horário nobre da TV voltou a colar a imagem dela à de Lula. O foco ontem foi a educação. A petista prometeu ampliar as vagas em creches e pré-escolas e construir universidades. Dilma classificou o tema como "prioridade máxima" de seu governo.

À tarde, a propaganda da candidata petista na TV explorou o comício realizado na segunda-feira na porta da fábrica da Mercedes-Benz, em São Bernardo do Campo. O vídeo destacou a emoção dos trabalhadores que acompanharam a visita dos petistas. Aos prantos, o operário Sebastião dos Santos apareceu agradecendo a Lula "por dar condições ao pobre de viver feliz".

Volta

"O povo nem votou e ela já está escolhendo os ministros. E olha quem quer voltar: Zé Dirceu e Palocci"

TRECHO DO PROGRAMA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.