Candidatos atacam ´gestões Garotinho´ no Rio

Os adversários do candidato governista Sérgio Cabral Filho (PMDB), que lidera as pesquisas e pode ganhar a eleição no primeiro turno, no debate de terça-feira no Rio, atacaram as administrações Anthony Garotinho (1999-2002) e Rosinha Garotinho (2003-2006), ambos também do PMDB e que apóiam Cabral. Quem deu o primeiro tiro foi a candidata do PPS, Denise Frossard, que acusou o casal Garotinho de ter "sucateado" a máquina pública e tornado o Estado "absolutamente inoperante" nas áreas da saúde, segurança pública e educação. A temperatura subiu quando o candidato do PT, Vladimir Palmeira, disse que Cabral Filho, apesar de ter apoiado a candidatura de Garotinho à presidência da República, em sua campanha escondia dos eleitores sua ligação com o ex-governador. Ele também acusou o senador de ser demagogo e enganar o povo. Cabral pediu direito de resposta, concedido pela produção do debate e, após sua resposta, houve um início de bate-boca. "A ofensa é dizer que ele apóia o governador Garotinho. Não pensei que era ofensa, pensei que era apenas erro político", ironizou Vladimir. Isto porque, na resposta, Cabral Filho afirmou sua independência em relação a Garotinho. Pelas regras do debate, ele deveria ter ficado limitado à ofensa. Bombardeado por todos os lados, Cabral Filho disse que manterá os programas sociais do governo Garotinho. Mas, como um ´mantra´, repetiu: "Não tenho compromisso com os erros. Meu compromisso é com a população." Ficou sem resposta uma pergunta de Vladimir Palmeira. "O senhor disse no rádio que a educação é ruim, a saúde é péssima, o transporte um tumulto e a segurança é um caos. Como o senhor apoiou o Garotinho para presidente?"A candidata do PPS, Denise Frossard, que vem crescendo nas pesquisas e ameaça tomar o segundo lugar de Marcelo Crivella (PRB), também foi um alvo de ataques. Respondendo a uma pergunta feita por Crivella, Eduardo Paes (PSDB) mencionou um parecer jurídico escrito por Denise, no qual ela afirmava que a "deformidade física fere o senso estético" do ser humano, e chamou a candidata de preconceituosa. Denise respondeu afirmando que deveria ter sido mais cuidadosa na escolha das palavras e pediu desculpas, admitindo o erro, com a ressalva de que o texto do parecer não reflete seu pensamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.