Cândido Mendes não recebeu "selo de qualidade" da OAB

Prestes a completar um século, a Universidade Cândido Mendes, que tem em seu currículo um dos cursos de Direito mais conceituados do Rio de Janeiro, teve o desgosto de não ter o seu nome incluído na lista do selo de qualidade da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O pró-reitor de planejamento e desenvolvimento, Edson Nunes, disse que a instituição vai propor à Ordem uma jornada para a discussão de critérios de avaliação de cursos de direito. "Achamos que está na hora da OAB desenvolver um sistema de avaliação próprio e independente", afirmou.Para Nunes, que é advogado formado, com doutorado em Ciência Pólítica, e já foi presidente do IBGE, a OAB deveria desenvolver sistemas complementares aos do Provão e da Avaliação das Condições de Oferta. "Nós aplaudimos o que a OAB fez, mas achamos que ela usou critérios públicos conhecidos. Recomendamos que, para frente, a entidade desenvolva um sistema próprio de avaliação", comentou.Com 50 anos de existência, o curso de Direito da Faculdade Cândido Mendes tem cerca de 4.800 alunos e 400 professores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.