Caneta-revólver causa acidente no Paraná

O ex-diretor geral da Secretaria de Segurança Pública do Paraná, Luiz Gabriel Passos, 56 anos, que atualmente assessora o secretário Luiz Fernando Delazari, feriu-se em uma das mãos ao manusear uma caneta que atira balas calibre 22. Segundo a assessoria de imprensa, a arma teria sido presente do delegado Luiz Bordenowski. Ele trabalha na Ouvidoria das Polícias. A Secretaria de Segurança Pública informou apenas que o caso era um "acidente" e que "todas as providências estão sendo tomadas".A Regulamentação para Fiscalização de Produtos Controlados (R105), do Ministério do Exército, diz em seu artigo 16 inciso 9 que são de uso restrito (Forças Armadas) "armas de fogo dissimuladas, conceituando como tais os dispositivos com aparência de objetos inofensivos, mas que escondem uma arma, tais como bengala-pistola, caneta-revólver e semelhantes". O advogado criminalista Júlio Militão entende que, em razão da proibição, as que existem no País teriam sido contrabandeadas. Passos passou por uma cirurgia e está em recuperação. O secretário não se pronunciou sobre o ocorrido. Segundo foi possível apurar, Passos teria pego a caneta dentro do gabinete do secretário para assinar documentos e, sem saber que se tratava de uma arma, acionou o gatilho. Segundo Militão, o Código Penal Brasileiro estabelece que o proprietário da arma responde no caso de lesão corporal, tanto se for causado por ele, quanto se por falta de vigilância de sua parte.O médico Luiz Carlos Sobânia, que fez a cirurgia em Passos, afirmou em entrevista à Rádio CBN que a lesão em um dos dedos do assessor é considerada simples. Passos deve receber autorização para retornar ao trabalho na segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.