Capital importa meninos de rua, diz secretário

Embora tenha diminuído o número de crianças e adolescentes nas ruas de São Paulo, o secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, cobra uma política integrada das cidades da região metropolitana para resolver o caso. Além disso, pede maior participação da Secretaria de Saúde na ajuda do tratamento dos usuários de drogas com até 18 anos. "Temos várias crianças que trabalham em cruzamentos que não são daqui. As que ficam na Praça Charles Müller, por exemplo, são de Itapevi. Não tenho como incluir a família dessas crianças nos programas de transferência de renda do município", disse Pesaro. O secretário está confiante que a política por ele desenvolvida - que inclui transferência de renda, colocar as crianças no pós-escola e dar atendimento a toda a família - é o caminho certo. Pesaro explica que a concentração das crianças no centro ocorre porque a movimentação de pessoas e a possibilidade de ter dinheiro é maior. "Se você olhar o mapa, verá que todo o transporte metropolitano traz ao centro." Na quarta-feira, a Secretaria divulga a última parte da pesquisa com as entrevistas dos abordados.

O Estadao de S.Paulo

07 Setembro 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.