Capital sofre com a falta de ônibus e polícia reforça segurança

Desde a noite de quarta-feira, faltaram ônibus nos terminais de São Paulo. A reportagem do Estado esteve em nove terminais, nos quatro cantos da cidade. Todos estavam vazios ou completamente apagados. Na zona norte, os terminais da Casa Verde e Cachoeirinha não estavam operando nenhuma linha desde 22h30 de quarta. Nos terminais da Lapa e Santa Cecília, na região oeste, passageiros esperavam inutilmente por um ônibus que não viria. Em meio à insegurança gerada pelos ataques aos coletivos, a Secretaria de Segurança informou que a partir da sexta-feira alguns corredores de ônibus terão proteção da polícia.O mesmo aconteceu nos terminais Bandeira e Dom Pedro II, área central de São Paulo. ?Mesmo sem ônibus, vamos ficar aqui, é mais seguro com esses ataques. Até que dá para entender o medo deles, até para a gente é perigoso?, disse o aposentado Alfredo Dias, de 65 anos, que descansava no Terminal Bandeira.Na zona leste, no Terminal Aricanduva, apenas a linha 342M prosseguiu normalmente. O Terminal Santo Amaro, na zona sul, que opera 52 linhas, foi outro terminal fantasma. Ele, que opera 24 horas por dia, estava aberto, mas não tinha nenhuma pessoa ali às 3 horas de quinta-feira.Os novos ataques do PCC causaram um fato curioso nesta madrugada em São Paulo: pontos de ônibus cheios em diversos pontos da cidade. ?Como assim, não vem ônibus? E agora, meu Deus??, lamentou a dona de casa Diná Pinheiro, de 36 anos. ?Bem que eu estava estranhando essas ruas sem ninguém, tudo estava muito quieto?, disse ela, que esperava um ônibus havia quase duas horas na Avenida Celso Garcia, zona leste.Quase a totalidade das empresas retiraram seus ônibus de circulação já na noite de quarta para evitar ser alvo de ataques. ?Vamos pagar um hotelzinho, que sai mais barato do que pegar um táxi para casa?, afirmou Valdizar Pinheiro, de 36 anos, comerciante e marido de Diná.Proteção policial Para aumentar a segurança no transporte coletivo, uma soluções encontradas pela Polícia Militar foi manter policiais à paisana e armados entre os passageiros. Além disso a Tropas da PM irão proteger os corredores de tráfego com motos da Rocam e vigiar as garagens das empresas. A Guarda Civil Municipal (GCM) cuidará dos terminais urbanos.O plano começou a funcionar às 16 horas de quinta-feira, em 20 corredores, e será estendido até a manhã de sexta-feira a todas as linhas da capital. Veja os corredores de ônibus que voltaram a funcionarTerminal Pirituba-Lapa Lapa-Terminal princesa Isabel (via Av Francisco Matarazzo e Rio Branco) Terminal Cachoeirinha-Metro Barra Funda (Av. Marques de S. Vicente) Metro Tucuruvi-Terminal Correios Terminal Casa Verde-Terminal Princesa Isabel (Av. Marques de S. Vicente) Terminal Casa Verde- Metro Santana Terminal Penha-Terminal Parque Dom Pedro 2º Praça Aleixo Mafra, São Miguel-Terminal D. Pedro 2º Terminal A.E. Carvalho-Terminal Parque Dom Pedro 2º Terminal São Mateus-Terminal Parque Dom Pedro 2º (Av. Sapopemba) Terminal São Mateus-Terminal Parque Dom Pedro 2º (Av. Aricanduva) Terminal Carrão-Terminal Parque Dom Pedro 2º (Av. Celso Garcia)) Terminal Vila Prudente-Terminal Parque Dom Pedro 2º (Av. Paes de Barros) Terminal São Mateus-Terminal Parque Dom Pedro 2º (Av. Anhaia Melo) Terminal Sacomã-Terminal Parque Dom Pedro 2º (Avenida do Estado) Terminal Santo Amaro-Terminal Bandeiras (Av. Santo Amaro-Av. Brigadeiro Luis Antônio) Terminal Santo Amaro-Terminal Bandeiras (Av. Santo Amaro/Av 9 Julho) Terminal João Dias-Terminal Bandeirantes (Avenida Ibirapuera) Largo Taboão-Praça Ramos (Av. Francisco Morato/Rebouças)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.