Capitania suspende buscas de vítima de acidente na Bahia

A Capitania dos Portos da Bahia suspendeu nesta terça-feira, 12, as buscas, em alto-mar, pelo bioquímico Ananias Bernardino da Silva, de 61 anos, única das 132 pessoas (128 passageiros e 4 tripulantes) que não foi resgatada após o naufrágio de um catamarã na noite de domingo, entre Morro de São Paulo e Salvador, a cerca de 12 quilômetros da entrada da Baía de Todos os Santos. De acordo com o comandante Miranda de Souza, capitão dos portos da Bahia, é improvável que Silva seja encontrado com vida depois de mais de 36 horas em alto-mar.Com a decisão, as equipes de buscas - formadas por cerca de 70 pessoas, apoiadas por dois barcos da Marinha e um helicóptero da Polícia Militar - foram dispensadas e as comunidades de pescadores da região onde o acidente ocorreu foram alertadas para a possibilidade de o corpo do bioquímico aparecer.O catamarã, de nome Baía de Todos os Santos e de propriedade da empresa Biotur, foi rebocado para um estaleiro em Valença, 256 quilômetros ao sul de Salvador, onde passou por uma perícia. No local, foi constatada uma avaria no lado direito do barco - o primeiro a adernar. O proprietário da Biotur, Fabrício Brito, avalia que a batida da embarcação com uma pedra pode ter causado o acidente, mas prefere esperar o laudo da Capitania dos Portos. O resultado da vistoria será anexado aos laudos do inquérito aberto para investigar as causas do acidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.