Capitão que julgava corrupção de PMs no caso Rafael Mascarenhas é preso

Ele e outro capitão são acusados de participação em quadrilha que furtava cabos de fibra ótica

Priscila Trindade, do estadão.com.br,

28 de agosto de 2010 | 13h39

O capitão da Polícia Militar, Lauro Moura Catarino, que julgava os PMs acusados de receber propina do caso Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, está preso na unidade prisional da PM, em Benfica, no Rio de Janeiro. O oficial foi afastado da função.

 

Ele e o também capitão da Polícia Militar Marcelo Queiroz dos Santos, são acusados de participação em uma quadrilha que furtava cabos de fibra ótica na zona sul da cidade. Os dois prestaram depoimento na manhã de sexta-feira, 27, na 9º Delegacia, no Catete.

 

O Comandante Geral, Mário Sérgio de Brito Duarte, pediu que se inicie imediatamente um processo disciplinar com vistas à demissão dos oficiais. Em nota, o comandante diz que "não vai esperar sequer o resultado das investigações por parte da Polícia Civil".

 

Duarte também ordenou que o caso seja tratado com máxima prioridade, "porque é inadmissível que policias pagos com dinheiro público para proteger a população e os bens privados e públicos sejam covardemente seus dilapidadores".

 

Mascarenhas morreu na madrugada de 20 de julho, quando andava de skate com amigos no Túnel Acústico, na Gávea, na zona sul da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.