Carandiru será implodido a partir de 10h de domingo

O governo do Estado prepara uma operação de guerra, com interdição de ruas, ações especiais para garantir fluxo do trânsito em rotas alternativas, controle rígido de acesso à região eremoção dos moradores que vivem nas áreas próximas para realizar a implosão dos pavilhões 6, 8 e 9 do Complexo do Carandiru, a partir das 10 horas de domingo.O governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou que vai fazer pessoalmente, nesta sexta-feira pela manhã, no Palácio dos Bandeirantes, uma exposição sobre as medidas que serão adotadas no domingo e sobre o Parque da Juventude, que será erguido nolugar da Casa de Detenção.A Secretaria de Administração Penitenciária e a Coordenadoria Estadual de DefesaCivil (Cedec), que irão comandar as ações de segurança durante a implosão,anunciaram nesta quinta que serão removidas 131 pessoas que residem nas proximidades dolocal demarcado como área de segurança. Os moradores removidos devem deixar suas casas até às 9h30 do domingo, trancarportas e janelas, desligar a chave geral do quadro de energia elétrica e o registro deágua e gás. Além disso, deverão manter animais domésticos presos e estacionar osveículos fora da área interditada.A Defesa Civil recomenda, ainda, que toda a população das imediações evite circularpela região entre 10 horas e meio-dia. Cerca de 300 voluntários arregimentadospelo Centro de Voluntariado da Defesa Civil vão participar as operações de segurança. A Companhia de Engenharia Tráfego (CET) e a Polícia Militar (PM), que vão trabalharno monitoramento do trânsito na região, informaram nesta quinta que as seguintes vias deacesso serão interditadas, a partir das 7 horas e até as 13 horas: Avenida Cruzeiro do Sul, entre Avenida Zaki Narchi e Rua Alfredo Guedes; Avenida Ataliba Leonel, entre RuaVoluntários da Pátria e Praça Orlando Silva; Avenida General Pedro Leon Schneider, emtoda extensão; Rua Manoel dos Santos Neto, em toda extensão.

Agencia Estado,

05 de dezembro de 2002 | 20h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.