Carcereiro é refém em rebelião em São Carlos

Um carcereiro é mantido como refém em rebelião em cadeia pública de São Carlos, em São Paulo. No fim da tarde deste sábado, o diretor da cadeia negocia com os presos a libertação do refém. Não há notícias de pessoas feridas. As informações são da assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, que controla a cadeia e mais outras 222 unidades prisionais.A rebelião teve início por volta das 14 horas, quando os presos reclamavam da superlotação da unidade, que tem capacidade para 60 pessoas. A assessoria não soube informar qual o número de detidos em São Carlos. Logo após as reclamações, os presos começaram a depredar o local e tomaram o carcereiro como refém. Uma outra rebelião aconteceu em São Paulo neste sábado, esta na zona leste da capital, na Febem Tatuapé. O motim, que tomou seis das nove unidades do Complexo Tatuapé, começou no início da tarde e terminou por volta das 17 horas. Ao menos 500 menores aderiram ao movimento.Além das rebeliões, a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) confirmou tumultos em unidades prisionais de cidades da grande São Paulo esta tarde, mas negou serem rebeliões. De acordo com a assessoria da secretaria, não há reféns, quebra de imóveis e nem reivindicações dos detidos, mas, sim, o que foi chamado de "movimento pacífico" em Centros de Detenção Provisória (CPDs) de São Bernardo do Campo, Parelheiros e Suzano e na Penitenciária 1 de Franco da Rocha.Na última sexta-feira, foram registradas outras três rebeliões no interior do Estado: Itirapina, Mirandópolis e Araraquara. Estes movimentos foram controlados, de acordo com a assessoria da SAP, na madrugada de sexta para sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.