"Cargos são todos políticos", diz secretário do PT

O governo da prefeita Marta Suplicy (PT) é uma administração toda montada em cima de indicações políticas, que são feitas por seus membros e aliados. "Todos os secretários são indicações políticas. Todos os administradores regionais são indicações políticas e, da mesma maneira, os cargos de livre nomeação", disse, em entrevista ao Estado, o secretário municipal do Governo, Rui Falcão.Falcão ressalta que o indicado passa pelos critérios da honestidade, competência e compromisso com o programa de governo, e que a indicação política não significa que a administração esteja sendo loteada: "O presidente da SPTrans foi indicado pelo secretário dos Transportes (Carlos Zarattini). É normal que seja assim, é uma empresa ligada à secretaria." Entretanto, ele destaca que o que acontece na atual administração difere, em sua opinião, do que acontecia nas administrações dos ex-prefeitos Celso Pitta (PTN) e Paulo Maluf (PPB). "O PT condenava a entrega das regionais a interesses inconfessáveis, o uso de mandatos para a apropriação de recursos públicos para fins privados."De acordo com o secretário, a expulsão do vereador Carlos Giannazi do PT não irá trazer uma crise para o partido em São Paulo. "Foi um fato isolado, a bancada tem aprovado e tido um bom diálogo a respeito de projetos." Para ele, o quebra-quebra no Diretório Municipal do PT foi um ato provocado por um setor descontrolado, nervoso (do PT), que não está alinhado com o partido como um todo. O tratamento de forma rigorosa da indisciplina sempre foi uma marca do PT, em escala nacional, afirma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.