Cargueiro da Embraer terá peças da Argentina e República Tcheca

A Embraer anunciou que a Argentina fornecerá spoilers e outros componentes dos cargueiro KC-390 e a República Tcheca as aeroestruturas para o avião de transporte militar que está sendo desenvolvido pela fabricante brasileira de jatos.

REUTERS

13 Abril 2011 | 11h27

"O programa de desenvolvimento da aeronave avança conforme o planejado. O início da produção do primeiro protótipo está previsto para 2013 e o voo inaugural para 2014", informou a Embraer em comunicado.

A Embraer Segurança e Defesa assinou nesta quarta-feira contrato de parceria com a empresa argentina FAdeA, que será responsável pela produção de spoilers --superfícies móveis de controle de sustentação na asa-- e portas do trem de pouso, entre outras peças a serem usadas no KC-390.

A empresa brasileira também chegou a um acordo para que a Aero Vodochody, maior fabricante aeroespacial da República Tcheca, produza parte da fuselagem traseira, portas para páraquedistas e tripulação, porta de emergência e escotilhas, rampa de carga e bordo de ataque fixo para os protótipos do KC-390 e aviões da produção seriada.

A Aero Vodochody, segundo comunicado, se juntará ao programa de desenvolvimento do cargueiro, participando da fase de definição conjunta. A empresa tcheca já trabalha com a Embraer na aviação comercial, tendo produzido componentes para a família de jatos civis para entre 70 e 118 passageiros produzidos no Brasil.

A Embraer ainda não divulgou o preço do KC-390, mas informou querer um terço do mercado global de cargueiros estimado em 700 unidades em 15 anos, o que significaria receita de 18 bilhões de dólares para a fabricante brasileira.

Os acordos revelados nesta quarta-feira são desdobramentos de memorandos assinados em setembro passado com a República Tcheca e em outubro com a Argentina, prevendo a participação dos países no projeto do KC-390.

Os dois países manifestaram, naquela ocasião, compromisso de comprar o cargueiro da Embraer. A República Tcheca divulgou plano de adquirir duas unidades, enquanto a Argentina mostrou interesse em seis aviões.

O KC-390 já tem intenções de compra de mais de 50 unidades, sendo 28 aviões pela Força Aérea Brasileira (FAB).

(Por Eduardo Simões)

Mais conteúdo sobre:
AEREAS EMBRAER CARGUEIRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.