Cariocas saqueiam Ceasa após incêndio

Mais de duas mil pessoas, incluindo crianças, saquearam o que sobrou do pavilhão 43 da Central de Abastecimento do Estado do Rio (Ceasa), em Irajá, na zona norte, que foi parcialmente destruído por um incêndio iniciado no sábado. A Associação de Usuários da Ceasa, que administra os depósitos, ainda não calculou o prejuízo dos comerciantes nem decidiu se o pavilhão será destruído. Desde a noite de sábado, o pátio da Ceasa estava cheio de gente interessada nos mantimentos que estavam nas lojas destruídas.Esmeranda Lindolfo Pereira, de 35 anos, saiu de Inhaúma, com duas das quatro filhas e conseguiu levar sacos de arroz, feijão e farinha. ?A ceia de Natal está garantida?, comemorou. Edna dos Santos de Oliveira, de 48 anos, disse que sustenta os sete netos e levou um carrinho de supermercado para pegar arroz, feijão, salsicha e óleo comestível. ?Minhas quatro filhas estão desempregadas e agora tenho comida para um mês?, afirmou.No início da tarde deste domingo, a PM havia afastado a multidão, mas quando um trator chegou para remover os escombros do pavilhão, os mantimentos ficaram expostos e a multidão voltou a pegá-los. A PM agiu de novo, mas não houve tumulto. Esta é a quarta vez, em três anos, que a Ceasa pega fogo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.