Carnaval 2010: Salgueiro homenageia heróis da literatura

Escola apostou em fantasias funcionais e leves, para facilitar a evolução na Sapucaí, diz diretor de Carnaval

Wladimir D'Andrade, da Agência Estado,

05 de fevereiro de 2010 | 14h17

SÃO PAULO - Drácula, Dom Quixote, reis e rainhas, personagens do Sítio do Pica-Pau Amarelo, Pequeno Príncipe. Todos estarão no domingo, primeiro dia de desfiles na Sapucaí, para sambar pelo Salgueiro. Fundada em 5 de março de 1953, a escola da zona norte do Rio de Janeiro vai dar cabo à estratégia adotada nos últimos três anos de mostrar enredos mais didáticos e leva para a avenida a história da literatura mundial, desde a invenção da prensa até os best-sellers de hoje. É com o samba de enredo 'Histórias sem Fim' que a atual campeã do Carnaval fluminense vai brigar pelo título em 2010.

A viagem literária do Salgueiro começa, claro, no século 15, quando o alemão Johannes Gutemberg pressionou blocos de chumbo sobre folhas de papel e fez a primeira impressão da Bíblia Sagrada, ponto de partida para a difusão dos livros pelo mundo. A escola da Tijuca não dá detalhes do que planejou para este ano, afinal, como diz o diretor de Carnaval do Salgueiro, Anderson Abreu, carnavalesco "adora fazer mistério", no caso, Renato Lage. Mas o diretor adianta apenas que a escola apostou em fantasias funcionais e leves, para facilitar a evolução na Sapucaí.

O desfile foi dividido em sete setores e os principais estilos literários estarão presentes. As 36 alas e os sete carros alegóricos irão retratar histórias épicas de heróis, mitos e deuses; romances de donzelas e cavalheiros; as poesias das conquistas da navegação portuguesa; os contos de fada e as ficções científicas, num enredo "mais didático", como define Abreu.

"A Salgueiro quer mostrar às pessoas que o hábito de ler também é bacana", explica o diretor. Em 2009 a escola fez um desfile sobre a história do tambor e, no ano anterior, conseguiu o vice-campeonato ao homenagear a Cidade Maravilhosa com o enredo "O Rio de Janeiro Continua Sendo...".

A respeito de pressão por ser a atual campeã, Abreu diz que a cobrança é bem maior. "Você tem que confirmar o campeonato anterior", disse. "Fizemos um trabalho de formiguinha, trabalhando erros bobos do ano passado", conta. Para atingir o objetivo, a escola gastou R$ 7 milhões, sendo que R$ 4,5 milhões foram repassados pela Liga Independente das Escolas de Samba do Rio (Liesa) e o resto, captado de empresas.

O samba-enredo da escola será puxado por Quinho, tradicional intérprete da escola. A rainha da Bateria Viviane Araújo, os atores Paulino Vilhena e Eri Johnson, as ex-Big Brothers Priscila e Sabrina Sato e o ex-atacante Edmundo serão os destaques entre os quase 4 mil passistas que vestirão as cores da vermelho e branco na busca pelo bicampeonato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.