Carnaval depende do tráfego aéreo, diz setor hoteleiro

O presidente da Associação Brasileira de Indústria de Hotéis (ABIH Nacional), Eraldo Alves da Cruz, afirmou, em entrevista à Agência Estado, que o setor tem as melhores expectativas para este feriado prolongado de carnaval. Entretanto, ele avalia que tudo vai depender da situação do tráfego aéreo. "O que nos preocupa são as notícias com relação aos aeroportos. A situação do controle aéreo é fundamental e, se ocorrerem problemas, pode comprometer e alterar os números (lucros) do carnaval", enfatizou. De acordo com Eraldo da Cruz, se ocorrerem problemas nos aeroportos, com atrasos nos vôos, à exemplo do que ocorreu no réveillon, boa parte dos brasileiros pode optar por ficar mesmo em seus Estados. "No caso de São Paulo, os paulistas podem escolher ir para o litoral do Estado em vez de pegar o avião e ir para o Nordeste. Mas queremos acreditar que isso não vai acontecer", ponderou. Segundo o presidente da ABIH, o faturamento da hotelaria brasileira é da ordem de R$ 25 bilhões anuais. "O carnaval responde por cerca de 5% deste faturamento -R$ 1,25 bilhão. É mais forte que o ano-novo." Na sua avaliação, o carnaval é o melhor período para o setor. Apesar disso, ele reitera que o setor está preocupado com a crise no setor aéreo brasileiro. "O carnaval é um feriado brasileiro e, um País que tem essa cultura, não pode afetar seu principal feriado. As perspectivas de lotação (nos hotéis) são altas, mas será que isso vai mesmo se concretizar? É uma incógnita." De acordo com Eraldo da Cruz, os principais pontos turísticos, nesta época, são os Estados do Rio de Janeiro, Bahia e Pernambuco. "Nesses lugares as expectativas são as melhores possíveis." Auditoria internacional O presidente da ABIH Nacional lembra que o sistema aéreo passará, em breve, pela avaliação do ICAO (Organização Internacional de Avaliação Civil), que analisa o risco do espaço aéreo de cada país. "O Brasil está em vias de receber uma auditoria internacional para verificar se sobe de nível ou desce. Se a auditoria chega e o pessoal do controle de tráfego aéreo resolve entrar em greve, o Brasil corre o risco de ter seu sistema desaprovado e isso pode repercutir no mundo inteiro", observou. Procon Na quinta-feira passada, 8, o diretor-executivo da Fundação Procon-SP, Roberto Pfeiffer, após reunião com companhias aéreas, também falou a respeito da avaliação do ICAO. Para ele, o ideal é que as empresas aéreas se preparem para mostrar bom desempenho no carnaval. Por essa razão, Pfeiffer não aposta em grandes problemas (no setor aéreo) no carnaval.

Agencia Estado,

14 Fevereiro 2007 | 14h40

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.