Carnaval do Rio começa sem favorita

Sem favorita ao título, o grande espetáculo do carnaval carioca começa neste domingo, às 21 horas, aberto pela Estácio de Sá, que reprisa na Marquês de Sapucaí um de seus sambas mais famosos, O ti-ti-ti do sapoti, de 1987. Naquele ano, o refrão da Estácio empolgou a cidade, mas não levou o campeonato. A cada uma hora, aproximadamente, uma nova escola deve entrar na pista da Marquês de Sapucaí. A segunda a desfilar é o Império Serrano. Em seguida, desfilam Mangueira, Unidos do Viradouro, Mocidade Independente de Padre Miguel, e, por último, a atual campeã, Unidos de Vila Isabel (leia abaixo). A segunda-feira terá sete escolas, uma a mais que o domingo: Unidos do Porto da Pedra, Unidos da Tijuca, Acadêmicos do Salgueiro, Portela, Imperatriz Leopoldinense, Grande Rio e Beija-Flor de Nilópolis. Nos 25 anos do sambódromo, o show cresceu em tamanho e importância. Nenhuma escola tem menos de 3,5 mil componentes e os carros alegóricos, produzidos por equipes que passam de 300 pessoas, são monumentais. Haverá carros luxuosos, como um navio viking da Imperatriz Leopoldinense, e outros curiosos, como a igreja Notre Dame, de Paris, trazida pelo Império Serrano. Aumentou também o número de alas coreografadas ou dramatizadas. As escolas capricharam tanto nos figurinos que a queixa agora é do excesso de roupa. Não se verão corpos expostos como em outros carnavais, a não ser de um ou outro destaque. ´Passou o tempo da nudez, hoje todo mundo quer exibir luxo´, comentou uma costureira, com décadas de barracão, que pediu anonimato. Se as alas vêm supervestidas, as musas, madrinhas e rainhas da bateria se despem para a guerra: disputam quem é mais popular, mais aplaudida e levanta mais o público. Algumas chamam mais atenção que as baterias, mesmo as de mestres conceituados como Ciça, da Unidos do Viradouro (com Juliana Paes), Odilon, da Acadêmicos do Grande Rio (Grazielli Massafera), e Átila, do Império Serrano (Quitéria Chagas). A disputa na pista é pelo primeiro lugar para pelo menos metade das agremiações, para voltar entre as seis melhores colocadas no desfile das campeãs, no próximo sábado, ou para não cair, já que este ano duas agremiações serão rebaixadas para o Grupo de Acesso e apenas uma sobe.

Agencia Estado,

18 Fevereiro 2007 | 15h38

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.