Fábio Motta/AE
Fábio Motta/AE

Carnaval do Rio cresce em foliões e receita em 2012, diz Riotur

Foliões aprovaram a festa, mas criticaram limpeza, transporte e falta de informações, segundo pesquisa

Estadão.com.br, com Fábio Grellet e Reuters

27 Fevereiro 2012 | 19h28

RIO - O carnaval do Rio de Janeiro cresceu em número de pessoas e em faturamento este ano, informou nesta segunda-feira, 27, a Riotur, empresa de turismo do município. A festa foi aprovada pela maioria das pessoas, mas o transporte, a limpeza e falta de informações foram criticadas pelo público.

Na folia de 2012, foram movimentados US$ 850 milhões, ou aproximadamente R$ 1,5 bilhão, contra US$ 740 milhões de dólares no ano passado (R$ 1,280 bilhão), de acordo com o órgão. O sambódromo esteve lotado nos dois dias de desfile das escolas de samba e teve a capacidade ampliada em cerca de 12 mil lugares.

Na folia de rua, cerca de 5,3 milhões de pessoas desfilaram nos 425 blocos pela cidade de sexta-feira de carnaval ao último domingo, um incremento de aproximadamente 10% a festa de 2011, quando foram registradas 4,9 milhões de pessoas.

"A gente teve um carnaval de absoluto sucesso. Recebemos um grande número de turistas e os números são uma satisfação", disse o secretário de Turismo do Rio, Antonio Pedro Figueira de Mello. "Ainda temos grandes desafios a superar, como o xixi na rua e a quantidade de lixo na cidade", acrescentou ele.

Os hotéis do Rio registraram em média uma taxa de ocupação de 95% durante a festa de 2012.  Segundo a Riotur, nos hotéis do Centro, Botafogo, Catete e Flamengo, zonas de classe média da cidade e com tarifas mais baratas que nas zonas sul e oeste, a taxa de ocupação chegou perto de 100%.

Trinta e sete navios também atracaram no porto do Rio antes e durante o Carnaval, trazendo para a cidade cerca de 85 mil turistas.

 

Pesquisa. Uma pesquisa realizada pela Escola Superior de Propaganda e Marketing do Rio (ESPM-RJ) em parceria com Riotur apontou como esteve a satisfação do folião com o carnaval da cidade.

 

Para quem esteve no sambódromo, a melhor coisa da cidade foi a diversão noturna, com nota 8,7, e a pior foi o transporte (6,6). No sambódromo, o aspecto mais bem avaliado foi a sonorização (8) e o pior, a quantidade e a limpeza dos banheiros (6,1).

 

Quem esteve nos blocos também considerou a diversão noturna a melhor coisa do Rio (nota 8), e a pior foi a informação turística (6,8). Durante os desfiles pelas ruas, os aspectos mais elogiados foram acesso ao bloco (8) e segurança (7,8), enquanto os piores foram limpeza dos banheiros (4), limpeza do trajeto (5,1) e quantidade de banheiros (5,5).

 

Foram entrevistadas 1.318 pessoas (838 no sambódromo e 470 nos blocos de rua), dos quais 70% moram na Região Metropolitana do Rio, 19% são turistas nacionais e 11% são turistas estrangeiros.

Turistas. O total de turistas na cidade alcançou 1,144 milhão durante o carnaval e superou as expectativas feitas antes da festa, que eram de 850 mil pessoas. No ano passado, foram estimados 750 mil turistas, mas os números da Riotur apontam para algo perto de 1 milhão de visitantes.

"Com mais segurança, planejamento e organização, é um convite para as pessoas de fora virem mais para curtir o Carnaval do Rio", disse o secretário ao citar uma pesquisa feita por uma universidade no sambódromo que indicou nota 7,8 ao quesito segurança.

Este ano, cerca de um terço dos turistas (32%) eram estrangeiros, de acordo com a Riotur.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.