Carnavalescos saem da Vila Isabel e Unidos da Tijuca

Quatro dias depois do desfile das campeãs, o carnavalesco Alexandre Louzada anunciou nesta quarta-feira, 8, seu desligamento da Unidos de Vila Isabel, a grande vencedora. Ao mesmo tempo, o carnavalesco Paulo Barros deixou a Unidos da Tijuca, escola que levou ao vice-campeonato em 2005 e 2004, sua melhor colocação na história do sambódromo. Pesou para Louzada a decisão da Vila Isabel de ter dois carnavalescos no próximo ano, ele o próprio e Joãosinho Trinta, a quem substituiu em meados de 2004, quando o mestre sofreu um derrame e não pôde desenvolver o tema que havia proposto. "Não é um bicho de sete cabeças trabalhar com outro carnavalesco, mas eu deveria ter sido consultado", reclamou Louzada.O carnavalesco, que com o enredo Soy loco por ti América, levou a Vila Isabel ao seu segundo título, depois de 18 anos da primeira vitória, já tem convites de diversas escolas, mas não revelou quais. Paulo Barros também ainda não decidiu para onde vai, nem mesmo se fica no carnaval carioca ou se vai para o paulista. Ele nega, no entanto, que o sexto lugar deste ano ou desavenças com o presidente da Tijuca, Fernando Horta, tenham motivado sua saída. A dança de carnavalescos não deve parar por aí. Os únicos profissionais que têm lugar garantido nas escolas em que trabalharam nos últimos anos são Rosa Magalhães, da Imperatriz Leopoldinense, e Laíla e sua equipe, da Beija-flor de Nilópolis, segundo garantiram Luizinho Drumond e Anis Abraão Davi, presidentes de honra das duas agremiações, respectivamente. Nas outras escolas, a permanência ou não dos carnavalescos deve ser decidida até a Semana Santa ou Corpus Christi, quando tudo recomeça com a escolha de enredos, sorteio da ordem do desfile, concursos de samba-enredo e o reaquecimento dos ensaios nas quadras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.