Carreta é retirada do rio Tietê em São Paulo

Durante uma operação que durou mais de seis horas, os soldados do Corpo de Bombeiros, com auxílio de guincho e da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), conseguiram retirar das águas do rio Tietê a carreta de Itanhandu (MG), que afundou por volta das 23h de sexta-feira, próximo à Ponte da Freguesia do Ó, em São Paulo. O corpo do motorista estava preso na cabine, que ficou durante todo o tempo subersa.Descarregado, o veículo trafegava em alta velocidade pela pista expressa, no sentido da Rodovia Castelo Branco, quando colidiu com um automóvel Voyage e, rompendo o gradil central, caiu no leito do rio. Nove guarnições do Corpo de Bombeiros atuaram na operação. Funcionários da CET e policiais do trânsito tiveram muito trabalho para controlar o fluxo de veículos que foram desviados da pista expressa para a local. Houve grande congestinamento nas duas as vias.Entre as dificuldades encontradas durante a operação de retirada da carreta houve o rompimento do cabo de aço de um dos guinchos no momento em que ela já se encontrava parcialmente fora da água, apenas com a cabine submersa. O veículo voltou a afundar, dificultando ainda mais o trabalho.O inquérito do acidente está sendo instaurado no 28º DP - Freguesia do Ó. A polícia ainda não informou a identidade do motorista. Ao contrário das primeiras informações, ele não estava acompanhado. É a única vítima do acidente e seu corpo foi encaminhado ao IML.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.